Carros presidenciais precisam combinar luxo e segurança

Veja alguns modelos emblemáticos usados pelos chefes de Estado no Brasil e no mundo

carros presidenciais
Crédito: Dida Sampaio/Estadão

Um cargo como o de presidente de um país exige um veículo que esteja à altura de sua pompa e, sobretudo, de sua importância. Esses veículos marcam presença no cotidiano do chefe de estado e, sobretudo, em visitas oficiais e cerimônias formais.

Por isso, os veículos destinados a essa função precisam combinar luxo e conforto com itens de segurança que possam garantir a integridade física do(a) presidente contra eventuais ataques ou atentados.

Em alguns países, usam-se dois veículos presidenciais diferentes. Um modelo clássico desfila em solenidades e comemorações e outro mais atual cumpre as tarefas do dia a dia.

É o caso do Brasil. O carro de trabalho da presidência é um Fusion Hybrid, cedido em comodato pela Ford em 2010, ainda durante o segundo mandato de Luís Inácio Lula da Silva.

Já em datas especiais como o feriado de 7 de setembro (Dia da Independência) e nas cerimônias de posse, é usado um Rolls-Royce Silver Wraith de 1952. O conversível foi doado pelo empresário Assis Chateaubriand ao presidente Getúlio Vargas.

No passado, a presidência do Brasil já usou em seu dia a dia carros como os Chevrolet Opala Diplomata e Omega, o Ford Landau e o Willys Itamaraty – este último, em versão limusine criada pela Ford exclusivamente para a função.

Nos Estados Unidos, Cadillac e Lincoln reinam

Nos Estados Unidos, o carro presidencial é o Cadillac One. Trata-se de uma limusine construída pela GM em 2009 sobre o chassi de um caminhão GMC Topkick. Um monobloco não conseguiria suportar a pesada blindagem (são 20 cm de espessura na carroceria e 13 cm em todas as janelas) e os equipamentos de segurança instalados para proteger o presidente.

A Cadillac foi a marca de vários outros veículos presidenciais dos EUA, como o Majestic Series de Woodrow Wilson, o V8 1928 usado por Franklin Roosevelt, o Eldorado 1953 conversível de Dwight Eisenhower e o Fleetwood 1993 de Bill Clinton.

Outra figurinha carimbada entre os chefes de Estado americanos foi a Lincoln. O próprio Roosevelt teve um Sunshine Special V12, Harry Truman usou uma frota de Cosmopolitans modificados e John F. Kennedy recebeu um modelo Continental conhecido como X-100 – que depois seria usado por Lyndon Johnson, Richard Nixon, Gerald Ford e Jimmy Carter.

Carros presidenciais franceses são “prata da casa”

Na França, como era de se esperar, os carros presidenciais são prata da casa: todos os 30 modelos usados pelos chefes de Estado desde 1906 foram construídos por marcas do próprio país. Dentre eles, 10 foram fabricados pela Citroën, 9 levaram a assinatura da Renault e 5 eram da Peugeot.

O mais emblemático deles certamente foi o Citroën DS 19 de 1962 (foto acima) que foi utilizado por Charles de Gaulle e Georges Pompidou.

O atual líder francês, Emmanuel Macron, tem à sua disposição dois modelos presidenciais feitos sob medida: um DS 7 Crossback (foto abaixo) e um Peugeot 5008.

Outros países
Na Itália, o carro presidencial é o Lancia Thesis. O imperador do Japão usa um Toyota Century Royal. Já o carro da família real britânica é o Bentley State Limousine.

A Mercedes-Benz fornece os sedãs longos Classe S para os presidentes de diversos países, como Índia e Rússia – além, evidentemente, da pátria da própria montadora, a Alemanha.

VEJA TAMBÉM: OS CARROS MAIS QUERIDOS DA HISTÓRIA DO BRASIL


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais


Notícias relacionadas