Chrysler pode encerrar operações no mundo

Sergio Marchionne deverá decidir futuro da Chrysler; fechamento deverá direcionar recursos para Jeep e Fiat

chrysler
Chrysler 300 e´um dos dois modelos que restaram na gama da Chrysler Foto: Chrysler

O CEO da FCA, Sergio Marchionne deverá decidir o futuro da Chrysler numa reunião na próxima sexta-feira (1). O encontro do executivo com investidores na Itália poderá terminar com o fim da marca Chrysler e outras mudanças estruturais na FCA.

Além do fim da Chrysler, Marchionne deverá detalhar os novos rumos da Fiat. De acordo com a agência Automotive News, especula-se que a marca deixará de operar nos Estados Unidos e na China, e voltará suas atenções para Europa, Brasil e mercados emergentes.

+ Conheça a página do Jornal do Carro no Facebook

As mudanças na FCA servirão para direcionar os investimentos para a Jeep, que já é a divisão mais rentável do grupo. A marca deverá ter novos produtos, como um modelo menor que o Renegaede e um novo Grand Wagoneer, no segmento de luxo.

Alfa Romeo e Maserati deverão se tornar uma única divisão, com foco em modelos de alta performance. A união servirá para orientar melhor os consumidores, que se viam diante de duas marcas com o mesmo mote.

As mudanças propostas por Marchionne deverão ser seus últimos atos à frente da FCA. O executivo irá se aposentar em 2019 após 14 no comando da empresa.

Ponto final para a Chrysler

O fim da Chrysler, apesar de soar catastrófico, é algo anunciado. Atualmente, a marca só tem dois modelos em catálogo, o sedã 300 e a minivan Pacifica. A escassez de modelos pode facilitar o fim da marca.


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais


Notícias relacionadas