Porsche fraudou teste de emissões de Cayman R na Inglaterra

Esportivo foi registrado em faixa de impostos menor após irregularidades em teste de emissões local

teste de emissões
Porsche Cayman R Foto: Porsche

A Porsche está sendo acusada de ter manipulado o teste de emissões de poluentes do Cayman R na Inglaterra. Na terra da Rainha, o esportivo registrou 221 g/km de CO2 emitidos, ante 228 g/km no restante da Europa. Embora pequena, a diferença foi suficiente para enquadrar o Cayman numa faixa de impostos mais barata.

O modelo foi registrado na faixa K, que paga o equivalente a cerca de R$ 1.500 anuais por causa de suas emissões. Se o carro tivesse sido avaliado corretamente, ele pagaria o equivalente a R$ 2.600 anuais, uma diferença considerável.

A Porsche conseguiu diminuir as emissões no teste oficial de uma forma simples. O modelo arrancou em segunda marcha, em vez de primeira, como deveria ter sido. E o erro foi descoberto quase que por acaso.

Um proprietário processou a marca por um problema em seu Cayman R. Durante o processo, o homem solicitou todas as informações técnicas relevantes registradas na Inglaterra sobre o carro. Tanto a Porsche, quanto a Agência de Certificação de Veículos inglesa não cederam as informações pedidas. No entanto, afirmaram em tribunal que a discrepância entre os registros de emissões do Cayman R na Inglaterra e no resto da Europa seriam por diferenças na taxação dos carros.

Dieselgate

Ainda que o caso não chegue a ser um grande escândalo, foi mais uma ação da marca para tentar reduzir os impostos pagos por seus carros por causa de emissões de poluentes. A Porsche também esteve envolvida no famoso Dieselgate. O escândalo ainda gera milhões de dólares em prejuízos para o Grupo Volkswagen, com a troca de motores e readequação aos limites de emissões vigentes.


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais


Notícias relacionadas