Ducati Monster 797 mostra volta da marca às origens

Tabelada a R$ 39.990, Monster de entrada resgata ‘alma’ da Ducati de 1993

Ducati Monster 797
Crédito: MARIO VILLAESCUSA/DUCATI

O projetista da Monster, esportiva da Ducati lançada em 1993, Miguel Galluzzi, disse à época: “Tudo que você precisa é de um banco, tanque, motor, duas rodas e um guidom.” A filosofia do “menos é mais” continua viva após 25 anos, como é possível conferir na nova 797. Modelo de entrada da marca italiana, a moto montada em Manaus está chegando às concessionárias do País por R$ 39.990.

Sem controle de tração e opções de modos de condução, a única “ajuda” disponível na 797 são os freios ABS, que não podem ser desligados. O novo modelo também marca a volta do motor refrigerado a ar à família Monster.

O dois-cilindros de 803 cm³ é o mesmo da Scrambler, mas gera 75 cv (2 cv a mais) e 7 mkgf. Na prática, há boa entrega de torque em baixo regime de rotação. Isso faz da Monster 797 uma ótima opção para a cidade e circuitos travados.

Em retas e com garupa, é preciso fazer constantes mudanças de marcha para obter a melhor resposta. O câmbio de seis velocidades tem engates curtos e poderia ser mais preciso.

Ciclística e ergonomia são virtudes da Monster

A ciclística dessa Ducati agrada. Com 193 kg, a moto é ágil graças também ao entre-eixos curto. O quadro em forma de treliça garante boa rigidez e, por ser pintado de vermelho, dá um toque especial à moto.

A ergonomia é um ponto forte. A posição de guiar é boa, o guidom não é largo e a distância das pedaleiras oferece um meio-termo entre esportividade e conforto no uso diário.

O resultado é que, mesmo em longos trechos a Ducati não cansa os ocupantes. O porém é que não há alças de apoio para o garupa.

A suspensão dianteira sem ajustes, da marca Kayaba, e a traseira, da Sachs e com regulagem só de pré-carga na mola, deixa claro que a 797 é um modelo de entrada. Os dois sistemas são adequados à moto.

Os freios são a disco. O dianteiro, duplo, tem 320 mm, é da Brembo e atua de forma eficiente. Atrás, o disco simples de 245 mm apresenta fadiga se for exigido intensamente.

O painel de instrumentos digital é simples. A favor, é fácil de ler e traz os principais dados e funções da moto.

FICHA TÉCNICA

Preço sugerido : R$ 39.990
Motor : 803 cm³, 2 cil., 4V, a gasolina
Potência : 75 cv a 8.250 rpm
Torque : 7 mkgf a 5.750 rpm
Câmbio : 6 marchas
Peso : 193 kg

PRÓS E CONTRAS

Prós: CICLÍSTICA. Bem acertada, moto garante boa agilidade no uso urbano e em circuitos “travados”.

Contras: CÂMBIO. Caixa de seis velocidades tem engates curtos, mas poderia ser um pouco mais precisa.

Veja mais avaliações de Motos no Jornal do Carro


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais


Notícias relacionadas