Fique de olho nas velas do seu carro

Componentes em mau estado indicam que veículo poderá ter problemas graves

Velas
Crédito: Alex Silva/Estadão

Essenciais para o bom funcionamento do veículo, as velas de ignição mostram logo quando algo não vai bem. Se apresentarem defeito, o motor começa a falhar, o consumo de combustível aumenta e a partida fica bem mais difícil, principalmente nas manhãs de dias frios. Nesse caso, a única solução é a troca – o jogo com quatro peças para um Volkswagen Gol 1.0 custa cerca de R$ 90 nas lojas da cidade.

As velas geram a faísca que provoca a explosão da mistura de ar e combustível dentro dos cilindros. O desgaste excessivo do eletrodo causa as famosas “engasgadas”, principalmente em arrancadas, acelerações e retomadas de velocidade.

Por isso, essas peças devem ser checadas, em média, a cada 10 mi km. Mas, como cada fabricante adota um prazo diferente, o ideal é seguir as regras expressas no manual do carro.

O plano de manutenção da VW para o Gol 1.0 prevê troca a cada 40 mil quilômetros ou quatro anos. Vale sempre o que ocorrer primeiro.

Uma das maiores causas de defeito nas velas é o uso de combustível de má qualidade. Isso gera acúmulo de resíduos, deterioração dos eletrodos e afeta o funcionamento do motor.

Em muitos casos há o comprometimento dos cabos que levam a eletricidade da bobina de ignição à vela. O jogo com quatro custa R$ 150 (em média) para um VW Gol 1.0.

Termômetro

Segundo especialistas, velas defeituosas indicam que há outros problemas no veículo. Se a peça estiver escura, com muita carbonização, pode ser que o filtro de ar esteja sujo (ou vencido) ou que o carburador ou sistema de injeção eletrônica precise de revisão.

Se o resíduo for úmido, significa que há óleo em excesso na câmara de combustão. Isso pode sinalizar deficiência nos anéis de vedação das válvulas do motor ou problemas mais sérios no cabeçote.

Outro sinal de defeito grave é o derretimento dos eletrodos. Nesse caso, a vela irá gerar uma pequena chama, em vez de faísca, com risco de danos severos ao motor. Esse tipo de problema também está ligado ao uso de combustível ruim.

Leia mais sobre Manutenção no Jornal do Carro

FIQUE ATENTO

COMBUSTÍVEL RUIM
Evite usar gasolina ou etanol de origem duvidosa. A médio prazo isso pode causar danos irreversíveis ao motor.

ESTADO DAS VELAS
Quantidade e tipo de resíduo indicam que há outras falhas no propulsor. Carbonização requer verificação detalhada.

CABOS
É recomendável trocar cabos e velas ao mesmo tempo. A utilização de peças usadas compromete as novas.

REVISÃO
Siga o plano de manutenção do carro ou revise o sistema, em média, a cada 10 mil km. Prevenir é mais barato.


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais


Notícias relacionadas