Diogo de Oliveira, Especial para o Estado

15/01/2021 - 5 minutos de leitura.

Audi só voltará a fazer carros no Brasil quando receber seus créditos de IPI de volta

Após desativar sua unidade no complexo do grupo Volkswagen em São José dos Pinhais, a Audi negocia com o Planalto e autoridades locais

Audi A3 Sedan
Audi A3 Sedan teve a produção encerrada em dezembro passado na fábrica de São José dos Pinhais (PR) Crédito: Audi/Divulgação
Carro

Vai comprar um 0km? Nós te ajudamos a escolher.

Em dezembro de 2020, a Audi encerrou a produção do A3 sedan na fábrica de São José dos Pinhais, no Paraná. Contudo, embora o fim do sedã de luxo estivesse programado desde 2019, a Audi agora precisa de uma definição do governo brasileiro para reativar a linha de produção paranaense.

É uma questão matemática. A Audi quer que o governo brasileiro devolva os créditos acumulados no Inovar Auto. Pelas regras do antigo programa de fomento à indústria, as montadoras que investiram em fábricas e centros de pesquisa teriam direito a receber de volta o Super IPI.

Dessa maneira, os carros importados pagavam 30% adicionais de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). Assim, a Audi requisita o crédito acumulado de 2012 a 2017, quando o Inovar Auto terminou para dar lugar ao atual Rota 2030, em vigor desde 2018.

Audi Q3 foi produzido na fábrica paranaense de São José dos Pinhais, mas saiu de linha após a chegada da atual nova geração do SUV
Rafael Arbex/Estadão

Calote de R$ 289 milhões

Em entrevista ao site Automotive Business em setembro de 2020, o diretor de relações institucionais e de sustentabilidade da Audi do Brasil, Antonio Calcagnotto, disse que o governo deve cerca de R$ 289 milhões em créditos às marcas alemãs (incluindo BMW e Mercedes-Benz).

Na mesma reportagem, o CEO da filial brasileira, Johannes Roscheck, confirma que este dinheiro será simbólico, mas importante para a definição dos próximos passos da empresa. Caso receba os créditos, a montadora pode fazer um novo investimento e voltar a produzir no Paraná.

Inscreva-se no canal do Jornal do Carro no YouTube

Veja vídeos de testes de carros e motos, lançamentos, panoramas, análises, entrevistas e o que acontece no mundo automotivo em outros países!

Inscrever-se

Efeito Ford

O recente anúncio do fim da produção de carros no Brasil pela Ford, feito no início desta semana, é um novo elemento que pode ajudar a Audi nas tratativas com o governo. Com o fechamento de três fábricas no país, a montadora norte-americana vai demitir cerca de 5 mil empregados diretos.

Com a imparável onda de desemprego no país, a marca alemã tenta convencer o governo do presidente Jair Bolsonaro a fazer algum tipo de acordo. E assim evitar novos cortes e o fechamento em definitivo da fábrica de São José dos Pinhais.

A fábrica da Audi fica dentro do complexo do grupo Volkswagen, no Paraná. A unidade produz outros modelos como o SUV T-Cross. A unidade das argolas tem cerca de 40 funcionários, um número dezenas de vezes menor que o da Ford. Contudo, todos são altamente treinados.

Novo Audi Q3
Felipe Rau/Estadão

Vale lembrar que, além da Ford, a Mercedes-Benz também fechou sua fábrica brasileira no fim de 2020. Com o agravamento da crise nas vendas de carros por causa da pandemia, a marca alemã, então, encerrou a produção na unidade de Iracemápolis, aberta em 2016.

Novo modelo nos planos

A Audi, portanto, pretende voltar a produzir carros no Brasil, o que pode voltar a acontecer em 2022. Contudo, a aprovação de novos investimentos pela matriz da montadora vai depender das negociações com o governo. A marca deve escolher entre nacionalizar o novo A3 Sedan ou o novo Q3.



Notícias relacionadas


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais