Caoa Chery prepara investida elétrica no Brasil

Na esteira do sucesso da linha de SUVs, Caoa Chery estuda levar Arrizo elétrico e Tiggo 7 híbrido

Caoa Chery
Arrizo 5 foi um dos novos modelos lançados pela Caoa Chery no Brasil Crédito: Foto: Caoa Chery/Divulgação

A Caoa Chery está fazendo uma revolução no mercado de veículos no Brasil. A empresa foi criada após a compra da operações da marca chinesa pelo grupo brasileiro e lançou quatro carros inéditos. Apareceram o sedã Arrizo 5 e os SUVs Tiggo 2, 5x e 7 em pouco mais de um ano e se prepara para lançar o Tiggo 8. Na esteira desse sucesso, a empresa já mira o segmento de eletrificados e estuda levar o 100% elétrico Arrizo 5e e o híbrido Tiggo 7 PHEV.

INSCREVA-SE NO CANAL DO JORNAL DO CARRO NO YOUTUBE

Segundo fontes ligadas à empresa, um dos principais entraves para a evolução da oferta de veículos elétricos no Brasil é a infraestrutura de recarregamento de baterias. O sistema é considerado muito aquém do necessário, considerando-se as dimensões continentais do País.

Ainda assim, o Arrizo 5e tem todas as condições para atender o consumidor. O modelo inclusive foi mostrado no Salão do Automóvel do ano passado para testar a receptividade do público. Uma das virtudes do modelo elétrico é a autonomia de cerca de 400 km.

No visual, o Arrizo 5e é basicamente igual à versão com motor a combustão. Mas em vez do 1.5 de quatro cilindros com turbo há um motor elétrico. O propulsor gera o equivalente a 123 cv de potência e pouco mais de 28 mkgf de torque.

Tiggo 7 PHEV tem 1.000 km de autonomia

Com o crescente sucesso do segmento de SUVs, a grande aposta de veículo eletrificado para o Brasil é o Tiggo 7 PHEV. Trata-se de um modelo híbrido do tipo plug-in. O esquema une motor a combustão e outro elétrico e deve ser recarregado na tomada.

No Brasil, o Tiggo 7 híbrido deverá manter o motor 1.5 turbo da versão “normal”. Além disso o SUV pode rodar até 50 km em modo 100% elétrico. Isso torna seu uso em ciclo urbano bastante interessante.

O Tiggo 7 PHEV tem sistema de recuperação de energia, que transforma a força gerada em frenagens em eletricidade que posteriormente é enviada à bateria. O consumo médio do SUV é de cerca de 45 km com um litro de combustível e autonomia pode chegar a 1.000 km.

Em tese, o SUV híbrido da Caoa Chery pode fazer uma viagem de São Paulo a Brasília com um único tanque de combustível. No Brasil o modelo já é vendido com motor 1.5 turbo. O propulsor é o mesmo do Arrizo 5.

Caoa Chery testa vários elétricos no Brasil

O Arrizo 5e não foi o único elétrico trazido pela Caoa Chery para testar o interesse do brasileiro. No Salão de São Paulo, em novembro do ano passado, a marca mostrou também o Tiggo 2e, o EQ e o EQ1.

O Tiggo 2e é a versão elétrica do modelo com motor a combustão produzido na fábrica da Caoa Chery em Jacareí, no interior do Estado de São Paulo. O SUV compacto tem motor de equivalentes 129 cv de potência (6 cv a mais que o do Arrizio 5e) e cerca de 28 mkgf de torque.

O EQ, por sua vez, é a versão eletrificada do subcompacto QQ, que também é produzido em Jacareí. Seu motor elétrico gera cerca de 57 cv de potência e a autonomia é de aproximadamente 200 km.

O EQ1 foi criado para ser elétrico – não há opção a combustão. Com motor que gera o equivalente e 40 cv, o carrinho pode rodar cerca de 400 km sem precisar que suas baterias sejam recarregadas na tomada.

Após o Salão, todos esses modelos permaneceram no Brasil. A maioria está na outra fábrica da Caoa Chery, em Anápolis (GO). Os veículos estão passando por testes para eventual lançamento no mercado brasileiro.

O jornalista viajou a convite da Caoa Chery


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais


Notícias relacionadas