RM Sotheby's/Divulgação

Carcaça de Ferrari destruída por furacão é arrematada por R$ 10 milhões

Ferrari 500 Mondial Spider tem histórico de pista, já teve motor trocado, foi atingida por furacão e mesmo assim vendeu por mais de US$ 1 milhão

Por Rodrigo Tavares 22 de ago, 2023 · 5m de leitura.

A famosa casa de leilões RM Sotheby’s anunciou recentemente os preços individuais que esperava conseguir com a venda de uma coleção de Ferraris, atingida por um furacão nos Estados Unidos, e quase foi destruída. Na coleção, estava a sucata de uma raríssima Ferrari 500 Mondial Spider 1954, que foi vendida por impressionantes US$ 1,9 milhão, o equivalente a R$ 9,6 milhões.

O comprador do modelo não teve sua identidade revelada, mas sabe-se que a previsão para venda possuía um valor menor que o arrecadado. A venda estimada pela casa de leilões tinha valor de US$ 1,6 milhão, 300 mil a menos do que o atingido, por exemplo. Apesar de quase ter sido totalmente destruída, especialistas analisaram o modelo e constataram que existe a possibilidade de restauração.

Ferrari 500 Mondial Spider tem histórico nas pistas

Ferrari 500 Mondial Spider era vermelha com interior em couro bege (RM Sotheby’s/Divulgação)

Sua história, no entanto, é inusitada, pois não foi a primeira vez em que a 500 Mondial Spider foi destruída. Fabricada na década de 1950 para correr em competições como Mille Miglia, Imola e Targa Florio, todas na Itália, foram feitas apenas 13 unidades, construídas pela Pininfarina. Delas, a segunda unidade, de chassi 0406 MD acabou leiloada.

Esse carro em especial foi pilotado por Franco Cortese, piloto da Ferrari que levou o modelo ao 19º lugar geral e ao 2º lugar na classe na Coppa della Toscana de abril de 1954, por exemplo. Assim, documentos oficiais de marca dão conta que o modelo tinha pintura vermelha e interior revestido em couro bege, algo comum em modelos da Ferrari até hoje.

Franco Cornacchia, entusiasta e amigo próximo de Enzo Ferrari, adquiriu o veículo. Proprietário de uma loja de esportivos, Cornacchia também era dono da equipe de corrida Scuderia Guastalla, em Milão, por exemplo. Contudo, em 1958, após correr quatro anos na Itália, o modelo terminou importado para os EUA, onde teve outros donos. Um deles até substituiu o 2.0 quatro cilindros original de 170 cv por um V8 feito no país. No entanto, o que pode parecer absurdo, era comum no passado.


Coleção de Ferraris foi atingida por furacão em 2004

Coleção de Ferraris será leiloada ainda este mês (RM Sotheby’s/Divulgação)

Em algum momento dos anos 60, um piloto acertou o modelo numa barreira de proteção. Além do impacto, o modelo foi danificado pelo fogo, mas componentes como a numeração do chassi e parte do câmbio se mantiveram intactos. Mesmo destruída, a sucata acabou vendida em 1975, a um fã discreto, que a manteve com outras Ferrari em um celeiro na Flórida. O que ele não esperava é que estivesse na rota do furacão Charley, que em 2004 destruiu vários carros da coleção.

Por medo de outras catástrofes, os modelos acabaram transferidos para o estado de Indiana, por onde ficaram19 anos. A RM Sotheby’s reconhece que a restauração do modelo pode dar trabalho, por conta da exclusividade da Mondial. Por fim, é correto afirmar que seu futuro proprietário terá que gastar muito se quiser reviver os dias de glória do bólido italiano.


O Jornal do Carro também está no Instagram!

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se
HONDA CIVIC TYPE R: COMO É O “HOT HATCH” DE R$ 430 MIL

Newsletter Jornal do Carro

Complete seu cadastro para receber as últimas notícias do Jornal do Carro diretamente no seu e-mail.

Campo obrigatório
Tudo certo!

Seu cadastro foi enviado. Em breve você receberá as últimas notícias do Jornal do Carro diretamente no seu e-mail.