Notícias

Carro autônomo é bem aceito pelo brasileiro, aponta pesquisa

Pesquisa do Instituto Ipsos mostra que mais de 50% dos motoristas só veem benefícios nos carros autônomos

Redação

30 de mar, 2018 · 3 minutos de leitura.

Carro autônomo e tecnologias" >
Carro autônomo
Crédito:Volvo

O Brasil pode ainda não estar pronto para receber os carros autônomos no que diz respeito a infraestrutura, porém o motorista brasileiro está de braços abertos. Segundo uma pesquisa do Instituto Ipsos, o brasileiro só enxerga benefícios na chegada da tecnologia às ruas.

Oito perguntas foram feitas a motoristas de 28 países ao redor do mundo. Entre eles o Brasil, e também os Estados Unidos, onde boa dos testes dos carros autônomos vêm sendo conduzidos. Em todas, mais de 50% dos brasileiros acreditavam que as tecnologias de um carro autônomo trariam vantagens.

As perguntas eram se os carros autônomos fariam o ato de dirigir mais: relaxante (68%), seguro (57%), rápido (58%), fácil (74%), amigável ao meio-ambiente (60%), econômico (59%), prazeroso (64%) e confortável (70%).

Razões

A positividade nas respostas se reflete nos problemas de infraestrutura do País. Trânsito, falta de transporte público ou outros modais. Isso reforça os benefícios do carro autônomo para o brasileiro.

Países mais desenvolvidos, como Grã-Bretanha, Alemanha ou EUA, por exemplo, ofereceram respostas com porcentagem de aceitação menores. Países com trânsitos ainda mais caóticos que o Brasil tinham porcentagens ainda mais altas nas respostas (Malásia, Índia e China).

Entre as economias mais desenvolvidas, que foram as 28 selecionadas para o estudo, os países mais ricos eram os mais resistentes aos carros sem motoristas, como a Alemanha com 35% de rejeição. O Brasil ofereceu apenas 9% de rejeição, enquanto a menor rejeição foi da Malásia, com 5%.

Os países que fizeram parte do estudo foram Alemanha, Grã-Bretanha, Canadá, França, Estados Unidos, Japão, Sérvia, Suécia, Bélgica, Austrália, Espanha, Itália, Rússia, Hungria, Polônia, Coreia do Sul, Chile, África do Sul, Turquia, China, Argentina, Brasil, Arábia Saudita, Colômbia, México, Peru, Índia e Malásia.