Você está lendo...
Carro na garagem por muito tempo? Saiba como evitar problemas no veículo
Manutenção

Carro na garagem por muito tempo? Saiba como evitar problemas no veículo

A bateria, os pneus e o sistema de ar-condicionado podem ser danificados se o automóvel ficar muitos dias parado na garagem

Redação

09 de fev, 2021 · 4 minutos de leitura.

garagem
Carro parado requer cuidados
Crédito:Land Rover/Divulgação
Carro parado requer cuidados

O isolamento social para conter a pandemia da covid-19 faz com que muitos carros fiquem estacionados na garagem. Com a falta de uso, o veículo pode desenvolver problemas técnicos. Dificuldade de partida e perda das propriedades do combustível são alguns dos contratempos que podem surgir.

O CEO e fundador da High Torque, Alexandre Dias Generoso, afirma que a maioria dos automóveis apresenta falhas na bateria se ficar muito tempo parado. ?A bateria, se ficar sem ser recarregada, pode dar problema". Os pneus, por sua vez, também podem perder a pressão e ficar "quadrados".

Para evitar isso, é importante calibrar os pneus com duas a três libras a mais que o recomendado. Visto que o veículo vai ficar parado. E fazer um vai e vem de uns 15 cm com o carro dentro da própria garagem.


Outra funcionalidade que tende a sofrer com a falta de uso é o ar-condicionado. O sistema, orienta Generoso, deve ser ligado com frequência para não ter defeito a longo prazo.

Gasolinas com alta octanagem tendem a ter uma validade maior. Portanto, se o carro não for mesmo sair do lugar, é interessante colocar as deste tipo no tanque para que o combustível não apodreça.

Além disso, o ideal é dar uma volta com o carro pelo menos uma vez na semana para fazer o óleo circular. Carregar a bateria e ligar o sistema de arrefecimento. ?A máquina foi feita para funcionar. Se ela ficar muito tempo parada, pode dar problema?, afirma Generoso.


Rodar poucos quilômetros no ano pode prejudicar o carro?

Com o carro mais tempo na garagem, a tendência é diminuir a quilometragem rodada no ano. O tradutor Pedro Borges, de 35 anos, é dono de um Toyota Etios que costumava circular cerca de nove mil quilômetros por temporada antes da pandemia. E viu este número baixar para a faixa de 1.500 quilômetros em 2020.

?Os deslocamentos se reduziram significativamente. Praticamente o uso para ir a médicos ou buscar compras em algum restaurante ou coisa assim. Acabamos usando o carro algo em torno de duas vezes ao longo da semana?, disse o brasiliense.

A pouca rodagem não prejudica o funcionamento do veículo, entretanto, é necessário ter alguns cuidados para que tudo continue funcionando bem. Com isso, a manutenção que era feita por quilometragem, na maioria das vezes, vai passar agora a ser feita por tempo. Ou seja: aquilo que tenha prazo de validade, como lubrificantes, pneus, borrachas e até mesmo combustível, pode ter que ser trocada com mais frequência.


O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se