Você está lendo...
CET-SP cancela multas de rodízio na cidade de São Paulo
Notícias

CET-SP cancela multas de rodízio na cidade de São Paulo

Devido ao caos e muito pontos de alagamento pela cidade, prefeitura cancelou multas de rodízio da manhã dessa segunda (4)

José Antonio Leme

04 de fev, 2019 · 5 minutos de leitura.

rodízio
Alagamento embaixo da Ponte das Bandeiras, nesta segunda-feira dia (4), zona norte da cidade de São Paulo. FOTO: FELIPE RAU/ESTADÃO
Crédito:

A Prefeitura de São Paulo irá cancelar as multas aplicadas por desrespeito ao rodízio na manhã dessa segunda-feira (4). A informação foi confirmada pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-SP).

A decisão foi tomada por causa dos alagamentos provocados em diversos pontos da cidade pela chuva dessa madrugada. Segundo a CET, no período da tarde, entre 17h e 20h, o rodízio está mantido normalmente por enquanto.


CIDADE TOMADA PELO CAOS

Até às 8h30 havia 17 pontos de alagamento em diversas partes da cidade, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE). Às 9h30, a cidade registrou o recorde de congestionamento para este ano.

Segundo a CET eram 202 km, com pontos de alagamento em vias cruciais. Trecho do corredor Norte-Sul ficou interditado. Na Marginal Tietê, nos dois sentidos, as pistas central e local foram fechadas por causa de alagamentos, além de alguns trechos da expressa.

O QUE FAZER EM CASO DE ALAGAMENTOS

O melhor a se fazer numa situação de risco é tentar manter a calma e procurar saídas viáveis. Se a chuva estiver forte, evite passar pelas áreas com histórico de alagamentos frequentes.


Se atravessar a enxurrada for inevitável, a primeira providência é tentar medir a altura da água com base nos carros estacionados ? a partir da metade da roda é temerário tentar passar, já que a água pode atingir o duto de captação de ar do motor e causar danos graves ao propulsor.

Caso a travessia seja possível, mantenha a velocidade baixa, no máximo 20 km/h, para evitar a formação de ondas na frente do carro. Além disso, use uma marcha mais baixa, como a segunda, e mantenha a rotação mais elevada do motor, a cerca de 2.500 rpm. Isso vai evitar que entre água no escapamento, literalmente afogando o carro. Dar a ré com o nível da água elevado também pode ser bastante perigoso.

Se durante o trajeto alagado o carro apagar, não tente dar a partida. O motor pode aspirar água para seu interior e gerar o chamado ?calço hidráulico?. Ele ocorre quando o pistão tenta comprimir a água alojada dentro dos cilindros. As consequências são graves. Peças como bielas e velas podem entortar.


No caso de a via alagar com o carro estacionado, retire-o do lugar, se possível, mas apenas se a água estiver até a linha da base das portas. Acima disso, o risco de a água invadir o interior é grande, podendo trazer dano à parte elétrica da cabine do veículo. Além disso, dar a partida no carro também pode gerar calço hidráulico.Após passar pelo trecho alagado, verifique se há ruídos estranhos ou luzes acendendo no painel. Se algo estiver errado, leve o carro para a revisão.

BÔNUS: OS 20 USADOS MAIS VENDIDOS DE 2018:
Deixe sua opinião