Cuba tem 50 carros vendidos em seis meses

Preços altos impedem cubanos de comprar carros mais novos em mercado local


A liberação das transações de compra e venda de automóveis em Cuba sem a necessidade da aprovação do governo abriu novos horizontes para o país. No entanto, os preços elevadíssimos dos modelos oferecidos por lá causaram um óbvio problema. Em seis meses, apenas 50 carros e quatro motos foram vendidos.

++ Siga o Jornal do Carro no Facebook
++ Renault Clio custa R$ 60 mil em Cuba

O descompasso entre os valores cobrados e o salário médio do cubano é a maior causa das vendas pífias. Um Peugeot 206 ano 2013 é vendido por US$ 91 mil, enquanto um 508 novo chega a custar US$ 262 mil, num país onde não é raro ganhar menos de US$ 20 por mês.

As 11 concessionárias em funcionamento em Cuba conseguiram US$ 1,28 milhões nas vendas, quantidade insuficiente para um investimento sólido no transporte público, uma das premissas do projeto de liberação das vendas. Segundo o governo cubano, 75% do valor das transações será direcionado para melhorar o carente sistema de transporte do país.

Por enquanto, a administração pública não fez nada para que os preços cobrados sejam minimamente ajustados à realidade cubana, deixando o mercado de automóveis limitado a alguns poucos endinheirados.

Ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais


Notícias relacionadas