Você está lendo...
EcoSport: valeu a pena mudar a parte mecânica e não o visual do carro?
Mercado

EcoSport: valeu a pena mudar a parte mecânica e não o visual do carro?

Há dois anos, a Ford promoveu no EcoSport importantes mudanças onde não se vê, mas não investiu muito na parte visível

Hairton Ponciano

28 de out, 2019 · 6 minutos de leitura.

montadoras
Ford EcoSport chegou ao mercado em 2002 e compartilhava plataforma com o hatch Fiesta
Crédito:Ford/Divulgação
montadoras

Há pouco mais de dois anos, o EcoSport chegou renovado às lojas. Trocou o câmbio automatizado Powershift - que era uma caixa de problemas - por uma transmissão automática convencional. Ganhou dois novos motores (1.5 de três cilindros e 2.0 de quatro cilindros de injeção direta do Focus). E um interior totalmente mudado. Havia, no entanto, um problema: visual. Não que o carro fosse feio. Mas um dos fatores mais importantes na decisão de compra havia permanecido quase intocado. Valeu a pena? A julgar pelas vendas, não.

INSCREVA-SE NO CANAL DO JORNAL DO CARRO NO YOUTUBE


A partir de 2015, com a chegada de concorrentes de peso, como Jeep Renegade e Honda HR-V, a vida do EcoSport nunca mais foi fácil. E só se complicou posteriormente, com o lançamento de Nissan Kicks e Hyundai Creta. O balanço de setembro da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) mostra o SUV da Ford na quinta posição do segmento. E muito mais próximo de ser ultrapassado pelo novato Volkswagen T-Cross do que de se aproximar do Honda HR-V.

+ Ford recentemente teve redução de preços

Os números são os seguintes: no acumulado até setembro, o EcoSport soma 24.242 unidades. O Renault Captur, sexto, tem 21.264 unidades, enquanto o T-Cross, em ascensão, já tem 19.113 unidades emplacadas. Enquanto isso, o HR-V registra 35.445 unidades.


Na época do lançamento do novo modelo, no final de 2017, a Ford ainda utilizou a estratégia de manter o preço abaixo dos concorrentes. Com mecânica e interior novos, além de preço atraente, o EcoSport chegou até mesmo a bater os concorrentes em um comparativo. Mas, naquela época, já fazíamos uma ressalva: "No trânsito, o novo EcoSport passa praticamente despercebido, mesmo no tom de azul do carro. Afinal, foi bem leve a reestilização feita na dianteira (grade, faróis e para-choque) do carro baiano. O visual é muito semelhante ao do Ford lançado em 2012, incluindo o estepe na tampa traseira."

EcoSport mudou tudo mas parece igual

O texto continuava dizendo que, na ausência de novidades visuais a apresentar, o EcoSport conquistava o cliente que se dispusesse a entrar no carro e dirigi-lo. Ou seja, para quem desse muita importância à beleza interior, e não se importasse com as aparências.


Já naquela época, porém, o jornalista chamava a atenção para os riscos no meio do caminho: "Vejo dois problemas para que o EcoSport possa reviver o sucesso de outrora. Um é o de sempre: tamanho do porta-malas. O bagageiro é limitado até para acomodar as malas da viagem familiar no fim de semana. O outro é intangível, mas igualmente importante atualmente: quem compra carro novo muitas vezes quer mostrar sua conquista aos amigos e vizinhos. O Ford não tem o que mostrar: mudou muito onde não se vê (mecânica e interior), e quase nada onde se vê (exterior)."

Posteriormente, a Ford foi elevando os preços do carro e remanejando as versões. A estratégia de remover o estepe da tampa na versão Titanium não surtiu muito efeito em termos de vendas. Além disso, atualmente o motor 2.0 equipa somente a versão topo de linha, Storm, com tração 4x4. Todas as demais vêm com o 1.5 aspirado de três cilindros.

Territory vem aí

A Ford deverá manter o EcoSport como está para investir no Territory, SUV desenvolvido na China, e que foi mostrado no Salão do Automóvel do ano passado. A empresa não dá muitos detalhes sobre o modelo, mas ele deverá ser lançado no Brasil no segundo semestre do ano que vem. O Territory virá inicialmente da China, para concorrer na faixa do Jeep Compass, portanto um degrau acima do EcoSport. Existe a possibilidade de que ele seja montado na Argentina.


Ford Ranger XLT 2.2 Diesel 4X4
Oferta exclusiva

Ford Ranger XLT 2.2 Diesel 4X4