Você está lendo...
Ferrari SF90 Spider chega por R$ 8,4 milhões e recarrega em tomadas
Lançamentos

Ferrari SF90 Spider chega por R$ 8,4 milhões e recarrega em tomadas

Conversível Ferrari SF90 Spider tem teto retrátil 40 kg mais leve que no cupê e sistema híbrido plug-in com motor V8 e outros três elétricos

Vagner Aquino, especial para o Jornal do Carro

14 de fev, 2022 · 4 minutos de leitura.

Ferrari
Ferrari SF90 Spider é conversível híbrido plug-in com total de 1000 cv de potência
Crédito:Ferrari/Divulgação

Chegou ao Brasil o conversível mais potente da história da Ferrari. O SF90 Spider foi apresentado a clientes em evento fechado em Florianópolis (SC). Revelado no fim de 2020, o supercarro é o primeiro híbrido com teto retrátil da marca. A Via Itália, representante oficial da marca italiana, anuncia o preço de R$ 8,4 milhões pelo modelo, que tem 1.000 cv de potência.

A SF90 Spider é naturalmente feita sobre a configuração cupê. A principal diferença é, portanto, o teto de tecido retrátil. O componente leva só 14 segundos para abrir ou fechar. Sua estrutura feita de alumínio pesa 40 kg a menos que o convencional. O vidro traseiro traz ajuste elétrico de altura para ajudar a reduzir a turbulência com o teto recolhido.

Ferrari/Divulgação

Outro dado curioso é a rigidez torcional do modelo, 30% maior do que a SF90 Stradale. Contudo, por causa dos reforços estruturais, são 100 kg extras. Peso total: 1.670 kg. No mais, tem teto rebaixado em 20 milímetros e as colunas "A" (as da frente) estão mais finas que no cupê. O para-brisa ficou mais inclinado.

Diferenças à parte, hora de falar dos responsáveis por mover o esportivo. Assim como no cupê, o conjunto mecânico do conversível carrega motor V8 4.0 biturbo de 780 cv. No mais, três elétricos (com bateria de 7,9 kWh, recarregável em tomadas) ajudam na missão. O trio entrega 220 cv extras e tem autonomia de 25 km.

Como 1.000 cv?

Assim, combinados, tais propulsores entregam potência total de 1.000 cv. São 91,7 mkgf de torque. De acordo com a Ferrari, a mecânica permite que o SF90 Spider acelere de 0 a 100 km/h em 2,5 segundos. E são 340 km/h de velocidade máxima. Há apoio, portanto, da última versão do câmbio automatizado de dupla embreagem e 8 marchas da companhia. O sistema de tração é integral.


Ferrrari
Ferrari/Divulgação

Modos de condução

O modelo possui, a princípio, quatro modos de condução (eDrive, Hybrid, Performance e Qualify). No 100% elétrico, é possível percorrer até 25 km sem usar sequer uma gota de gasolina.

Em equipamentos, cabe salientar que o interior do conversível é igual ao irmão cupê. Tem painel virtual de 16 polegadas, head-up display e controles sensíveis ao toque no volante e no painel.


Ferrari/Divulgação

Tanto o pacote Assetto Fiorano (que tem detalhes esportivos como amortecedores ajustáveis para uso em pista e uso de fibra de carbono e titânio), quanto a garantia estendida de 7 anos não foram citadas pela importadora.


O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se
Deixe sua opinião