GM deve investir quase US$ 7 bilhões em elétricos

Montadora negocia investimentos em elétricos nos Estados Unidos com sindicato que convocou paralisação de 48 mil trabalhadores

elétricos
Ofensiva de elétricos da GM terá SUVs Crédito: GM/Divulgação

Em meio à paralisação de 48 mil funcionários da GM nos Estados Unidos, a montadora negocia investir US$ 7 bilhões (cerca de R$ 28,6 bilhões) nas operações americanas nos próximos anos. Segundo o site Automotive News, a maior parte dos recursos deve ser destinada à produção de carros elétricos. Especialmente SUVs, uma picape totalmente energizada e de um novo sistema de baterias.

INSCREVA-SE NO CANAL DO JORNAL DO CARRO NO YOUTUBE

A medida é uma das estratégias da GM para fechar um acordo trabalhista com o sindicato. Que na segunda-feira iniciou a primeira greve geral da categoria em 12 anos. Os trabalhadores querem discutir um novo contrato de trabalho, que incluiria mudanças nos regimes de salários, plano de saúde, estatuto de funcionários temporários e segurança do emprego.

Picape elétrica será grande

Entre os investimentos, a montadora revelou que planeja fabricar pelo menos cinco modelos de veículos movidos a energia elétrica até 2023. Sendo dois para Cadillac, um para a Buick e dois para a Chevrolet – um deles deve ser o sucessor do Bolt atual. Os carros serão montados com uma estrutura flexível e modular. Além de terem um moderno sistema de baterias. De acordo com relatórios obtidos pela agência Reuters, a GM pretende lançar uma picape elétrica de grande porte em 2022.

A companhia também informou que vai investir em oito fábricas de quatro estados americanos. Fontes ligadas às negociações disseram que a empresa avalia reabrir duas unidades desativadas. Sendo uma delas no Michigan e outra em Ohio. Essa última, fechada em março, seria responsável pela fabricação das baterias dos carros elétricos.


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais


Notícias relacionadas