Você está lendo...
História e natureza
Notícias

História e natureza

Estados do Sul têm construções centenárias e belas paisagens

Redação

28 de jun, 2017 · 8 minutos de leitura.

Crédito:RED5081 SÃO MIGUEL DAS MISSÕES 03/06/2017 JORNAL DO CARRO / VIAGEM / PALADAR REDESCOBRINDO O BRASIL SUL EXCLUSIVO EMBARGADO Ruínas do sítio arqueolólgico de São Miguel Arcanjo situado no município de São Miguel das Missões . FOTO: JF DIORIO/ESTADÃO

A região Sul é rica em paisagens deslumbrantes e lugares para visitar. Entre belezas naturais e construções de diversas épocas, há fragmentos da história do País, como as ruínas de São Miguel das Missões, no oeste do Rio Grande do Sul.

As construções, que datam de 1735, ficaram abandonadas por quase dois séculos até serem tombadas como Patrimônio Histórico Cultural, em 1938.  O local, que mistura religiosidade e misticismo e foi palco de guerras, é também considerado Patrimônio Mundial da Unesco desde 1983.

As ruínas causam grande impacto aos visitantes, por sua grandiosidade e valor histórico. Grandiosa também é a Serra do Rio do Rastro, em Santa Catarina. No município de Lauro Müller, onde os picos atingem 1.500 metros de altitude, está o trecho mais famoso e procurado pelos turistas.
Na rodovia que liga a serra catarinense ao litoral do Estado há mais de 200 curvas fechadas. Mirantes ao longo dos trechos de reta proporcionam vistas espetaculares.


Outro ponto alto da expedição foi Foz do Iguaçu, com suas imperdíveis cataratas. Para ver de perto algumas das quedas d?água mais famosas do mundo, o visitante brasileiro tem de pagar R$ 38,30. O ingresso, que é mais caro para estrangeiros (a partir de R$ 51,30), dá acesso ao Parque Nacional do Iguaçu.

Há experiências mais completas, como sobrevoar a região de helicóptero, saltar de paraquedas sobre o parque e até tomar um verdadeiro banho de catarata, de dentro de um barco que navega pelo rio Iguaçu.
Essas atrações podem custar mais de R$ 400 por pessoa.

Litoral em destaque. A expedição viu o mar pela primeira vez somente em Florianópolis, a oitava parada da viagem e a segunda capital do roteiro. Floripa se destaca por ter um ar praiano especial, distante das paisagens montanhosas comuns da região e do Estado de Santa Catarina como um todo.


A ilha, repleta de reservas naturais, é um refresco aos olhos, com belas praias próximas do centro urbano, a maioria com fácil acesso. A cidade tem um ritmo calmo, com trânsito tranquilo e vias que atravessam grandes porções de mata, estradas sinuosas e belos mirantes que valem a parada por alguns minutos, para contemplar a vista.

De Floripa, fomos para a calma (na baixa temporada) Bombinhas, vizinha à capital catarinense. Repleta de hotéis e restaurantes à beira mar, a cidade recebe milhares de turistas todos os verões, que vão desfrutar o mar calmo e refrescante das praias e a badalação noturna no município costeiro.


Em Paranaguá, no Paraná, o mar é visto apenas na saída da baía que leva o nome da cidade portuária. O local é ponto de partida para a paradisíaca Ilha do Mel, que fica a uma hora e 45 minutos de barco ? são três saídas diárias.

Sabores marcantes. Quando se pensa na região Sul do País, a associação com as carnes é quase imediata. Dos três Estados, o que mais aposta no churrasco é o Rio Grande do Sul, onde cortes bovinos são a atração dos cardápios de restaurantes e bares, e também do mercado municipal de Porto Alegre.

As churrascarias são tradição na capital. Há tanto as casas especializadas em espetos quanto as que assam iguarias diretamente na grelha. O matambre é típico da cidade.


No Estado, há também novas interpretações para o secular churrasco. Em alguns endereços a picanha é servida de maneira irreverente, como em uma moderna hamburgueria em Porto Alegre, a 20barra9. O corte vem acompanhado de guarnições pouco convencionais no resto do País, como tábua de queijos e antepastos. Nos três Estados do Sul, os vegetais também são ingredientes importantes. A maioria dos pratos os traz como acompanhamento.

Tradições da Serra. As regiões serranas do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina têm seus segredos culinários. No primeiro caso, o fondue e a raclete são clássicos dos restaurantes de Gramado, Canela e Bento Gonçalves.


Já a serra de Santa Catarina trouxe a maior surpresa gastronômica da expedição ? o destaque do cardápio é o entrevero. O prato surgiu a partir de uma tradição de tropeiros que viajavam pelo interior. Quando se encontravam, reuniam todos os ingredientes de que dispunham e os misturavam, criando um prato coletivo. Os principais itens dessa iguaria são carne, pimentão, cebola e pinhão. O prato é a estrela dos restaurantes das cidades da serra, como Urubici e São Joaquim.

Na capital, Florianópolis, são os frutos do mar que dominam os cardápios. O prato típico e mais famoso da ilha é a chamada sequência de camarão. Na maioria das cidades visitadas no Paraná, a culinária é internacional. A exceção é Morretes, na Serra da Graciosa, famosa pelo barreado, prato que mistura perfeitamente farinha, carne cozida e mandioca.

 


 

 

Deixe sua opinião