Você está lendo...
Irã tem muitos carros com coração francês
Notícias

Irã tem muitos carros com coração francês

Reportagem é a segunda de uma série de 32 sobre os carros dos países que disputam a Copa do Mundo

Redação

15 de jun, 2018 · 4 minutos de leitura.

Ikco Runna
Crédito: IKCO
Crédito:

A Copa do Mundo mistura países com tradições e culturas muito díspares. E isso também vale quando o assunto é carro. No Irã, que é o assunto da segunda reportagem desta série sobre os 32 países que disputam a Copa, a influência francesa se faz evidente pelas ruas das grandes cidades. Ela aparece nos carros da principal montadora local, a IKCO. Os modelos usam plataformas e peças de outros modelos que são velhos conhecidos dos europeus.

Leia mais notícias no site Jornal do Carro

A indústria automotiva deu seus primeiros passos por ali no final dos anos 60 e entrou em uma longa ressaca durante a década de 80, em que o país esteve mergulhado em uma guerra com o vizinho Iraque. Mas voltou a se desenvolver na virada do século, a ponto de se tornar uma das maiores da Ásia e a décima oitava em tamanho no mundo e chegar a produzir mais de 1,6 milhão de unidades por ano.


Uma significativa parte dos carros produzidos por ali saem das seis fábricas que a Iran Khodro (IKCO) mantém no país. A empresa foi fundada em 1962 e detém dois terços do mercado local. Seus carros são vendidos em vários outros países do Oriente Médio e da Ásia.

O primeiro carro produzido pela IKCO foi o longevo sedã Paykan. Fabricado por quase 30 anos - de 1967 até 2005, ele se tornou a imagem mais conhecida de um carro iraniano.

Em 2003, surgiu uma nova família de modelos, a Samand, construída sobre a plataforma do Peugeot 405. O Samand continua em produção até hoje - não só no Irã como também na Síria, no Egito, no Senegal, no Azerbaijão, em Belarus e até na Venezuela, por meio de joint ventures.


Sangue francês

A relação da IKCO com montadoras europeias e asiáticas já vem de longa data. No seu portfólio atual, estão vários modelos de marcas como Peugeot e Renault, além da Suzuki (com o Grand Vitara).

O IKCO Tondar 90, por exemplo, nada mais é que o nosso Renault Logan de primeira geração (vendido em versões sedã e picape). Da Peugeot, a IKCO produz, em pleno 2018, os hatches 206 e 207 e o sedã 405 (sob o nome Pars), além do recente utilitário 2008.

Há, ainda, o curioso Runna, que vem a ser um Peugeot 206 sedã com uma outra dianteira enxertada.


Mesmo os modelos desenvolvidos localmente, como Dena e Arisun, são uma mistura de componentes iranianos com peças das marcas francesas. O utilitário H30 Cross, por exemplo, é feito sobre a base do Peugeot 308.

Deixe sua opinião