Você está lendo...
Microlino é a versão elétrica de releitura do Romi Isetta
Notícias

Microlino é a versão elétrica de releitura do Romi Isetta

Veículo subcompacto concorrerá na Europa com Renault Twizzy e Smart EQ. Inspirado no Romi-Isetta, Microlino mantém design mas adota motorização elétrica

Emily Nery, para o Jornal do Carro

15 de fev, 2021 · 6 minutos de leitura.

Microlino é o novo BMW Isetta
Microlino é o novo BMW Isetta
Crédito:Divulgação/Micro

Em 2016, a suíça Micro Mobility Systems, também conhecida como Micro, apresentou um carro elétrico compacto inspirado no BMW Isetta. O modelo foi feito também no Brasil e vendido com o nome de Romi Isetta.

Após vários atrasos, a start-up finalmente lançou a versão de produção do carrinho de dois lugares, batizado de Microlino. A estreia seria no Salão de Genebra (Suíça) de 2020. A feira, porém, foi cancelada.

Contudo, quase um ano depois, o Microlino 2.0 deve, finalmente, entrar no mercado. E irá competir com o Renault Twizzy e o Citroën Amik, por exemplo.


Nesse sentido, a Micro quer homologar o novo veículo até agosto de 2021. Logo depois, em setembro, a ideia é começar a produção em série na fábrica de Cecomp, em Turim, na Itália.

Da mesma forma que o Isetta, o Microlino 2.0 tem espaço para apenas duas pessoas. Além disso, há um compartimento de 300 litros para bagagem. Ou seja, são 10 litros a mais que o porta-malas de um Fiat Uno.

Ao passo que o peso do carrinho é de 513 kg, por causa das baterias que, com carga total, garantem de 125 km a 200 km de autonomia. Além disso, o motor elétrico pode acelerar o microcarro a até 90 km/h.


Microlino é o novo BMW Isetta
Divulgação/Micro

Entre as novidades da versão de produção está a traseira mas larga. Dessa forma, o objetivo é aumentar a estabilidade.

A estrutura também foi atualizada. Nesse sentido, o monobloco é feito com peças de aço prensado e alumínio. Como resultado, a cabine ficou mais firme e segura sem que tenha havido aumento significativo no peso.


Desenho e lista de equipamentos minimalista

À primeira vista, chama a atenção o desenho retrô e, ao mesmo tempo, moderno. Assim também, uma barra de luzes de LEDs abaixo do limpador do para-brisa e duas luzes de uso diurno se destacam.

Na parte da frente dos espelhos externos ficarão os faróis arredondados e de LEDss Assim como no Isetta, o Microlino tem uma única porta frontal.

Microlino é o novo BMW Isetta
Embora modelo venha com um display digital, ele não acompanhará nenhum tipo de sistema de entretenimento Divulgação/Micro

Além disso, na compacta e minimalista cabine há painel com tela digital. Logo, o motorista poderá checar várias informações sobre o carro.

Por exemplo, poderá ver o nível de carga das baterias. Todavia, não haverá nenhum sistema de entretenimento, nem mesmo rádio.

Ainda assim, o Microlino terá preço bem mais alto que seus concorrentes europeus. Ou seja, a tabela deve começar em torno dos ? 12 mil. Ou seja, uns R$ 78 mil na conversão direta, sem impostos.


Alusão ao Isetta

Acima de tudo, o desenho do Microlino faz alusão direta ao BMW Isetta. O carrinho original foi feito pela italiana Iso SpA. A produção foi de 1953 a 1961.

Em 1955, a fabricante brasileira de máquinas Romi recebeu licença da Iso para fazer o Isetta no País. Inclusive, trata-se do primeiro veículo fabricado no Brasil. Até 1961, foram vendidas cerca de 3 mil unidades.

Romi-Isetta foi o primeiro carro a ser construído no Brasil
Reprodução/Internet

Problema com a fabricante

Voltando ao Microlino, vários problemas causaram atraso na estreia da versão definitiva. Entre eles, a Tazzari, que inicialmente produziria o carrinho, foi comprada pela Artega.

Essa, por sua vez, resolveu lançar um modelo concorrente, batizado de Karolino. Porém, a Micro fez um acordo com a Artega para produzir o Karolino.

Contudo, a Cecomp já teria o aval para a fabricação do Microlino. Ou seja, o modelo da Micro será mesmo feito na Itália.