Você está lendo...
Nissan Versa muda de nome para V-Drive
Notícias

Nissan Versa muda de nome para V-Drive

Sedã Nissan V-Drive já está sendo fabricado na planta da Nissan em Resende (RJ). Nova geração do Versa aterrissa no Brasil ainda neste semestre

Redação

29 de jul, 2020 · 3 minutos de leitura.

Nissan
Nissan V-Drive
Crédito:Nissan/Divulgação

"A produção do V-Drive está a pleno vapor no Complexo Industrial de Resende (RJ)". Este foi o comunicado emitido pela Nissan na tarde desta quarta-feira (29). O objetivo é comunicar a chegada do novo sedã às concessionárias nas próximas semanas.

Na verdade, o modelo já é velho conhecido. Trata-se do Nissan Versa atual que, com a chegada de sua segunda geração ao País (leia abaixo), precisou ser rebatizado para continuar no mercado como opção de entrada ao universo dos três-volumes.

Não há detalhes sobre preços ou versões de acabamento do V-Drive, cuja nomenclatura é a mesma que ele recebeu no México. Ele vai manter os mesmos motores 1.0 flexível de 77 cv e 1.6 de 111 cv.


A estratégia da Nissan, com a novidade, é trilhar a receita de sucesso de outras marcas, como a Chevrolet, por exemplo. Mesmo com o lançamento do Onix Plus, a fabricante manteve a antiga geração do sedã, rebatizando-o como Joy Plus. O hatch, aliás, segue a mesma cartilha.

Uma publicação especializada em carros para PCD, a Mundo do Automóvel para PcD, inclusive já divulgou os preços do carros, que vão variar de R$ 57.190 na versão 1.0 manual e chega a até R$ 72.890 na 1.6 Plus CVT.


Novo Nissan Versa será importado do México

Para atuar no segmento acima do V-Drive, o Versa 2021 será importado do México ainda neste trimestre. Embaixo do capô dianteiro terá o motor quatro cilindros de 1,6 litro que rende 122 cv. Acompanha a opção de câmbio manual ou CVT (continuamente variável). No Kicks, esse propulsor flexível entrega até 114 cv atualmente.

A terceira geração do sedã é baseada na plataforma V (como no novo Nissan March/Micra). E, com isso, vem uma enxurrada de novas tecnologias, como frenagem autônoma de emergência com detecção de pedestre, alerta de mudança de faixa e de ponto cego e farol alto automático. Até mesmo alerta de tráfego cruzado traseiro e controle de velocidade adaptativo devem estar na configuração topo de linha.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se


Deixe sua opinião