Notícias

Hyundai E-GMP: nova plataforma dará origem aos futuros elétricos do grupo

Grupo Hyundai promete 23 elétricos até 2025. Modelos terão capacidade de recarga de 800V, que garante 500 quilômetros de autonomia em 18 minutos

Emily Nery

02 de dez, 2020 · 6 minutos de leitura.

Plataforma Hyundai E-GMP" >
Plataforma Hyundai E-GMP
Crédito:Divulgação/Hyundai

Até 2025, a Hyundai promete apresentar 23 veículos elétricos e vender mais de 1 milhão de unidades desse tipo de modelo. Para isso, a fabricante sul-coreana apresentou nesta terça-feira (01) a E-GMP, nova plataforma criada para dar origem a seus futuros carros elétricos.

Segundo informações da empresa, a E-GMP é versátil e pode se adequar à produção de diversos tipos de carroceria, como SUVs, hatches, sedãs e até esportivos. Contudo, a plataforma padronizará o desempenho e a disposição dos modelos.

A Hyundai garante que seus novos elétricos poderão rodar até 500 km com uma única recarga. Dados de performance indicam que os novos carros terão alto desempenho. Além disso, poderão acelerar de 0 a 100 km/h em 3,5 segundos. E atingir velocidade máxima de até 260 km/h.

Futuros lançamentos de modelos eletrificados da Hyundai
No lançamento do novo Tucson, a marca divulgou 10 eletrificados que estrearão até 2022 Divulgação/Hyundai

Cerca de 18 minutos de recarga garantirão 500 km de autonomia

Para diminuir o tempo de recarga, os novos elétricos terão sistema padrão de 800V, além de 400V. Como resultado, postos de carregamentos ultrarrápido de 350 kW poderão repor 80% da carga das baterias em cerca de 18 minutos. Isso garantirá autonomia de até 500 km. Para ter 100 km de autonomia, serão necessários apenas cinco minutos de carregamento.

Pela primeira vez, a Hyundai oferecerá carregamento bidirecional, ou seja, o carro poderá servir de gerador e fornecer energia para eletrônicos (110/220V), inclusive para outro automóvel elétrico. Esse tipo de sistema já é oferecido em modelos elétricos como o Tesla Model 3 e o novo Nissan Leaf.

Plataforma E-GMP produzirá veículos que terão recarga bidirecionada
A nova função V2L pode fornecer até 3,5 kW de energia, ou seja, alimentar uma televisão de 55 polegadas por até 24 horas. Divulgação/Hyundai

Bateria disposta no assoalho promete aumentar espaço da cabine

Para aumentar o espaço da cabine, bem como o downforce, o conjunto de baterias fica alocado no assoalho. Por sua vez, ela é mais leve e compacta e entrega mais energia que do que qualquer outra bateria feita antes pela Hyundai. Além disso, seu tamanho e desempenho varia conforte o segmento do veículo do qual a utilizará.

Outro destaque fica a cargo do conjunto mecânico. Inédito, o eixo de transmissão integrado (IDA) contém um motor, inversor e transmissão que integram um pequeno módulo.  O inversor, que dispõe de semicondutores de carbeto de silício (SiC) controla o motor. Segundo a Hyundai, este ?pode aumentar a eficiência do sistema em cerca de 2 a 3 por cento, o que significa que o veículo pode ser conduzido por aproximadamente 5 por cento a mais com a mesma bateria.”

A arquitetura E-GMP se caracteriza pela tração traseira. No entanto, é possível escolher entre tração traseira ou integral. O sistema desfruta de um interruptor de transmissão, que controla a conexão entre o motor adicional e as rodas dianteiras, assim como pode alternar entre a tração nas duas ou nas quatro rodas. Esse componente promete aumentar a eficiência e oferecer o nível ideal de potência, adequando o veículo às condições de condução reais.

A nova plataforma servirá como base modular para a Genesis e Kia, cuja marca pretende lançar 7 elétricos até 2027. Além disso, ela produzirá os modelos da Ioniq, divisão de elétricos da Hyundai, como o SUV Ioniq 5, que chegará ao mercado em 2022, e o sedã Ioniq 6.

O Jornal do Carro entrou em contato com a Caoa para confirmar se a E-GMP estaria inclusa no investimento de R$ 1,5 bilhões na planta da Anápolis (GO). Entretanto, até o momento da publicação não houve resposta da mesma.