Você está lendo...
Porsche Panamera completa dez anos
Notícias

Porsche Panamera completa dez anos

Esportivo de quatro lugares, o Panamera enfrentou resistência no início, mas modelo superou as críticas

Redação

26 de abr, 2019 · 6 minutos de leitura.

Porsche Panamera está na segunda geração
Crédito:Porsche/Divulgação

No início, a vida do Porsche Panamera não foi fácil. Para começo de conversa, ele era um Porsche mas não era o 911. E isso já era motivo para críticas. Além disso, tinha um estilo, digamos, polêmico, na traseira. Mas, em dez anos, o Panamera superou a antipatia inicial. O sedã evoluiu e afastou críticas. Em uma década de produção, o modelo já contabiliza mais de 235 mil unidades espalhadas pelo mundo.

INSCREVA-SE NO CANAL DO JORNAL DO CARRO NO YOUTUBE


 

A primeira aparição oficial do Panamera foi em 19 de abril de 2009. O modelo foi revelado no 94º andar do World Financial Center, em Xangai, na China. Como se não bastasse estar a 400 metros do solo, o Panamera foi posicionado em pé em um elevador de carga.

Sonho de um Porsche de quatro lugares é antigo

Nos anos 50 a Porsche já acalentava o desejo de desenvolver um modelo maior. Assim, a engenharia fez uma versão de quatro lugares baseada no 356. O Type 530 tinha distância entre eixos maior, assim como teto mais alto na traseira.


+ Porsche 911 Speedster surge nos EUA

+ Panamera passa por recall

+ 911 GT2 terá produção exclusiva para o Brasil 


Depois dele, a montadora alemã fez também um protótipo de quatro portas baseado no 911. Além disso, na década de 80, surgiram versões alongadas do 928. Em 1988, a Porsche apresentou o Type 989. Era um cupê de quatro portas com motor V8 dianteiro. Como as experiências anteriores, o 989 também não passou da fase de protótipo.

Panamera começa a tomar forma

Na virada do milênio, a Porsche estudou o mercado e a concorrência, e decidiu que era o momento de retomar mais seriamente o projeto de um sedã de quatro portas. De acordo com as premissas estabelecidas, o modelo deveria ter não apenas bom espaço, mas oferecer ótima dirigibilidade e aparência de Porsche.


O objetivo era construir um carro esportivo de quatro lugares com teto inclinado, um grande porta-malas e hatchback. Ou seja, a tampa do compartimento de bagagens deveria dar acesso à cabine. Durante o processo, surgiram três protótipos: Mirage, Meteor e Phantom. O modelo que viria a ser produzido trouxe muitos elementos visuais do Mirage. O nome, Panamera, foi inspirado na corrida de longa duração mexicana conhecida como "Carrera Panamericana".

Nasce o Panamera

O primeiro Panamera, conhecido internamente como G1, trouxe várias inovações. Foi o caso do sistema start-stop e da suspensão pneumática, oferecida na versão de topo, Panamera Turbo.


A gama de potência oferecida pelo modelo variou de 250 a 550 cv, com propulsão a gasolina, diesel e híbrida. Inicialmente, na Europa, os motores V6 e V8 aspirados eram oferecidos com transmissão manual de seis marchas. Mas a opção da transmissão PDK de dupla embreagem e sete velocidades não demorou a ganhar a preferência dos clientes.

Para a China, a Porsche lançou em 2013 a versão Executive, com distância entre eixos alongada.

Segunda geração chegou em 2016

O Panamera de segunda geração (G2) fez sua estreia mundial no dia 28 de junho de 2016. E, logo no ano seguinte, trouxe como uma das novidades a carroceria batizada de Sport Turismo, espécie de perua esportiva.


Entre as inovações, o modelo trouxe quadro de instrumentos virtual, suspensão a ar de três câmaras e eixo traseiro direcional. O espectro de potência começava em 330 cv. Hoje, o modelo topo de linha é um híbrido plug-in com 680 cv. No ano passado, 67% de todos os modelos Panamera vendidos na Europa tinham propulsão híbrida.