Professores do MIT processam Ford por quebra de patente

Trio de professores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts alegam ser inventores de tecnologia que combina injeção direta e indireta

patente
Sistema que professores alegam serem inventores está em motores da Ford desde 2015 Crédito: Foto: Aaron Josefczyk/Reuters

Três professores do MIT estão processando a Ford pelo uso uma tecnologia patenteada pelo trio. O sistema de injeção direta de combustível e com dois tipos de injeção usados nos motores EcoBoost teria sido criado pelos professores. Eles agora pedem compensação pelo uso da patente.

A Ford e o MIT fizeram uma parceria ainda em 2007 para desenvolvimento de novas tecnologias para motores. Uma segunda parceria uniu os times do instituto de tecnologia de Massachusetts, encerrada em 2015. A Ford, na época, alegou que os professores eram “inventores gananciosos”, que se recusaram a negociar direitos para licenciar as patentes.

Os professores Leslie Bromberg, Daniel R. Cohn, e John B. Heywood, do MIT, alegam sr os inventores do sistema de injeção dupla de combustível. Ele combina injeção direta e indireta para melhor mistura ar-combustível. O sistema garante uma combustão mais estável do que os sistemas de injeção unicamente direta.

Ford recusou patente

Eles transferiram a propriedade da patente para o MIT, que garantiu a licença à Ethanol Boosting Systems, empresa fundada pelos professores. A EBS ofereceu as patentes da tecnologia de injeção dupla à Ford em 2014, que declinou da oferta.

O processo alega que apesar do acordo não ter sido firmado, a Ford começou a usar o sistema em seus motores. Os propulsores são usados nas picapes da Série F e no Ford Expedition, além de outros modelos de grande porte.

Ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais


Notícias relacionadas