Programa Top Gear é expulso da Argentina

Carros da equipe e de Jeremy Clarkson foram apedrejados por suposta referência ao conflito das Ilhas Malvinas


Carros usados pela equipe foram abandonados na estrada

A equipe do programa Top Gear, da BBC, teve de abandonar às pressas o território argentino na tarde de quinta-feira (02), rumo ao Chile. Uma multidão formada por cerca de 100 argentinos, em sua maioria ex-combatentes da Guerra das Malvinas, fez uma emboscada para o time do famoso programa capitaneado pelo apresentador Jeremy Clarkson em Cerro Castor, no Ushuaia, região extrema da Patagônia.

Os argentinos se sentiram provocados pela equipe do programa porque o Porsche 928 GT piloto por Clarkson trazia a placa H982 FLK, interpretada por alguns com o significado de 1982 Falklands, ou seja, o ano e o nome em inglês das ilhas Malvinas, local do conflito histórico entre os dois países.

Além do Porsche com a famigerada placa, a produção do Top Gear abandonou na estrada um Lotus Esprit V8 e um Ford Mustang Mach I, que foram apedrejados juntamente com um Citroën 2CV, que era levado em plataforma como carro reserva, e com um Land Rover Discovery que transportava a equipe técnica.

O Top Gear é uma programa da BBC de Londres e estava em território argentino para gravar uma série de programas que tinham como assunto a travessia pela Patagônia. Ninguém da equipe foi ferido durante o apedrejamento, embora um argentino, contratado pela equipe, tenha sido atingido por uma das pedras.

O produtor executivo do programa, Andy Wilman, declarou de Londres que a placa foi um coincidência. “A equipe da produção Top Gear adquiriu três carros para fazer o programa. Sugerir que este carro foi escolhido por sua placa ou que a placa original foi substituída é totalmente falso”, declarou.

O vereador Juan Manuel Romano, da província de Cerro Castor, viu ainda mais coincidências. Para ele, o número 646 na placa do Lotus pilotado por James May é uma referência aos 649 argentinos mortos no conflito e os algarismos 269 presentes na placa do Ford Mustang de Richard Hammond estão relacionados aos 255 britânico que pereceram na mesma guerra.

“A nossa posição desde o início foi exigir a retirada da equipe de TV da nossa província, com o aviso de uma manifestação para rejeitar a provocação se não saíssem”, declarou o vereador. “O que eles fizeram foi um crime que, não por coincidência, foi cometido na capital das Malvinas, sem qualquer respeito ao sentimento local sobre esta causa. Eles disseram que não queriam incomodar ninguém, mas sabemos que os britânicos têm mentido para nós nos últimos 200 anos.”

Segundo outra autoridade, o ministro do governo local, Mariano Plecity, a equipe do Top Gear concordou em deixar a Terra do Fogo voluntariamente. Entretanto, mais tarde, o mesmo ministro teria twitado o link de um artigo publicado no jornal local com o título “Governo expulsa produtores ingleses do Top Gear da província”. No artigo, o jornal relata que a autoridade policial local escoltou a equipe até a fronteira com o Chile.

Polêmico. Essa não é a primeira confusão em que o apresentador Jeremy Clarkson se envolve. Em 2012, o consulado indiano registrou uma reclamação formal a BBC por conta de um especial gravado na Índia em que Clarkson viajou pelo país com um Jaguar “decorado” com um vaso sanitário. Mais recentemente, o apresentador foi acusado de usar linguagem racista quando se referiu a um asiático com o termo slope, uma gíria que significa algo como primitivo.


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais


Notícias relacionadas