Você está lendo...
Renault anuncia potência e torque do motor 1.3 turbo flex do novo Captur; compare com SUVs rivais
Lançamentos

Renault anuncia potência e torque do motor 1.3 turbo flex do novo Captur; compare com SUVs rivais

SUV estreia no começo de julho com 170 cv e torque de Jeep Compass. Motor 1.3 turbo do novo Renault Captur foi feito com a Mercedes-Benz

Eugênio Augusto Brito, Colaboração para o Jornal do Carro

24 de jun, 2021 · 7 minutos de leitura.

Novo Renault Captur 1.3 turbo
Novo Renault Captur estreia no Brasil em julho com o novo motor 1.3 TCe turbo flex
Crédito:Renault/Divulgação

Logo no início de julho, a Renault vai lançar no Brasil a reestilização do SUV Captur, que chegará às lojas com visual levemente renovado e uma grande novidade sob o capô. O utilitário feito em São José dos Pinhais, no Paraná, vai estrear o motor 1.3 turbo flexível da marca francesa, que foi desenvolvido em parceria com a Mercedes-Benz.

Para esquentar a estreia do novo Captur, a Renault, então, revelou os dados de desempenho do motor, que terá um dos maiores torques em motores turbo flexíveis de baixa cilindrada. A Renault diz que o novo Captur será o SUV mais forte do segmento graças ao novo 1.3.

A chegada do motor é tão importante, que a marca francesa vai tratar a linha 2022 do Captur como uma "nova geração". Mas o salto em desempenho promete ser compatível ao de uma troca de geração. De acordo com a Renault, o motor 1.3 TCe turbo produz 170 cavalos de potência, além de um torque de 27,5 mkgf a 1.600 rpm.


Renault Captur motor TCe
Motor TCe turboflex é feito na Espanha, em parceria com Mercedes-Benz
Foto: Divulgação/Renault

Mesmo torque do Jeep Compass

Desta forma, o novo Renault Captur 1.3 turbo tem potência similar a de motores 1.4 e 1.6 turbo flex (Chevrolet, Peugeot e Citröen), 2.0 flex (Ford) e até 2.0 turbodiesel (Jeep) já utilizados em nosso mercado. Entretanto, o novo motor tem mais torque do que outros motores turbo flex de SUVs compactos concorrentes.

Até agora, o motor 1.4 turbo flexível 250 TSI do Volkswagen T-Cross era o mais forte entre SUVs compactos, com 25,5 mkgf com gasolina ou etanol. Assim, apenas o Compass com o (também novo) motor 1.3 turbo flex T270 é mais potente, porém com torque igual: 180/185 cv e 27,5 mkgf. Só que o Jeep é um SUV médio. (Veja a tabela abaixo).


Motor TCe é feito na Espanha

A Renault não revelou se os dados do novo motor 1.3 TCe são referentes ao desempenho com gasolina ou com etanol. No entanto, o Jornal do Carro aposta que os números são os obtidos com o combustível vegetal. Isso porque sabemos que o motor 1.3 turbo chegou recentemente nos mercados da Colômbia e do México com o novo Renault Duster.

Naqueles mercados, o TCe 1.3 turbo gera 156 cavalos e 25,4 mkgf utilizando gasolina pura e combinado a um câmbio do tipo CVT. Apesar de o SUV ser feito no Brasil, o motor 1.3 turboflex chega importado da Espanha, assim como a transmissão CVT, que vem do México.



O câmbio CVT, por sinal, é chamado de Xtronic. A Renault vai apelidá-lo de "automático de oito velocidades". De fato, teremos um câmbio por polias com relações continuamente variáveis que usa instruções eletrônicas para emular os degraus de rotações, como numa transmissão convencional com conversor de torque e engrenagens.


A Mercedes-Benz usa o motor 1.3 turbo no Classe A, bem como nos SUVs GLA e GLB, com câmbio automatizado de dupla embreagem e sete marchas. Assim, a fabricante alemã consegue extrair 163 cv de potência, além de 25,5 mkgf de torque, isso com gasolina.

Captur 2022 começa renovação da Renault

Em março, o presidente da Renault do Brasil, Ricardo Gondo, anunciou investimento de R$ 1,1 bilhão na fábrica paranaense. Dessa forma, este montante servirá para a renovação de seus produtos à venda no Brasil. A fabricante promete cinco atualizações de modelos da gama atual em um ano, ou seja, até junho de 2022.

O investimento servirá para renovação dos modelos nacionais, assim como para fazer o motor turbo 1.3 flex.


Veja o desempenho dos SUVs concorrentes

A lista abaixo segue a ordem de mercado para os SUVs compactos mais vendidos no Brasil em 2021, segundo o ranking da Fenabrave.

  • Jeep Renegade
    1.8 flex: 135/139 cv (gasolina/etanol), 18,8/19,3 mkgf (gasolina/etanol)
    2.0 turbodiesel: 170 cv, 35,7 mkgf
  • Hyundai Creta
    1.6 flex: 123/130 cv, 16/16,5 mkgf
    2.0 flex: 156/166 cv, 19,1/20,5 mkgf
  • Jeep Compass
    1.3 T270 turboflex: 180/185 cv, 27,5 mkgf
    2.0 TD350 turbodiesel: 170 cv, 35,7 mkgf
  • Chevrolet Traker
    1.0 turboflex: 116 cv, 16,3/16,8 mkgf
    1.2 turboflex: 132/133 cv, 19,4/21,4 mkgf
    1.4 turboflex (descontinuado): 150/153 cv, 24/24,5 mkgf
  • Volkswagen T-Cross 1.0 e 1.4, Nivus 1.0
    1.0 200 TSI turboflex: 116/128 cv, 20,4 mkgf
    1.4 250 TSI turboflex: 150 cv, 25,5 mkgf
  • Honda HR-V
    1.8 flex: 139/140 cv - 17,5/17,7 mkgf
    1.5 turbo a gasolina: 173 cv, 22,3 mkgf
  • Nissan Kicks
    1.6 flex: 114 cv, 15,5 mkgf
  • Renault Duster
    1.6 flex: 118/120 cv, 16,5 mkgf
  • Citröen C4 Cactus
    1.6 flex: 115/122 cv, 15,5/16,4 mkgf
  • Ford EcoSport
    1.5 flex: 130/137 cv, 15,5/16,2 mkgf
    2.0 4WD flex: 170/176 cv, 20,6/22,5 mkgf
  • Peugeot 2008
    1.6 flex: 115/118 cv, 16,1 mkgf
    1.6 THP turboflex: 165/173 cv, 24,5 mkgf
  • Caoa Chery Tiggo 3X
    1.0 turboflex: 98/102 cv, 16,8/17,1 mkgf
  • Caoa Chery Tiggo 5X
    1.5 turboflex: 147/150 cv, 21,4/21,3 mkgf

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se