Notícias

Símbolo da Rolls-Royce, espírito do êxtase completa 110 anos

Fixada na ponta do capô dos carros da Rolls-Royce desde 1911, estatueta diminuiu de tamanho, mas preserva praticamente as formas originais

Diogo de Oliveira, Especial para o Estado

08 de fev, 2021 · 4 minutos de leitura.

" >
Símbolo máximo da Rolls-Royce, o Espírito do Êxtase (Spirit Of Ecstasy, em inglês) completa 110 anos
Crédito:Rolls-Royce/Divulgação

Quase tão antigo quanto a própria Rolls-Royce, o Espírito do Êxtase, símbolo da montadora, está fazendo aniversário. Mas não é qualquer data. São 110 anos de existência. Ou seja, desde 1911, todos os automóveis da marca britânica trazem a estatueta na ponta do capô. A escultura é muito mais famosa que o escudo da empresa, representado por um duplo ?R?.

A Rolls-Royce registrou a propriedade intelectual do Espírito do Êxtase (Spirit of Ecstasy, em inglês) exatamente em 6 de fevereiro de 1911. A partir daquele dia, os automóveis da marca tornaram-se algo mais. A escultura, que também é uma obra de arte, transformou-se em um símbolo de poder e riqueza, não só no mundo dos carros, mas na sociedade.

Rolls-Royce Spirit Of Ecstasy
Rolls-Royce/Divulgação

Formas quase originais

Ao longo de sua história secular, a estatueta do Espírito do Êxtase pouco foi modificada. A escultura de uma mulher inclinada e de braços abertos, prestes a alçar voo, era maior no início. Originalmente, tinha cerca de 18 centímetros. Contudo, diminuiu com o passar dos anos e, atualmente, mede 7,5 cm. Além disso, a peça agora fica guardada em um compartimento e só aparece quando o motor é acionado.



Uma obra para ser vista

A origem da estatueta da Rolls-Royce é curiosa. O então diretor de produção da montadora, Claude Johnson, notou que alguns de seus abastados clientes estavam fixando símbolos sobre o capô de seus carros. A moda foi lançada por John Walter, editor da revista The Car Illustrated, e conhecido como Lord Montagu. Ele fixou uma estatueta em seu Rolls-Royce Silver Ghost.

Rolls-Royce
Rolls-Royce/Divulgação

Só que a escultura de Lord Montagu era especial, e o diretor da Rolls-Royce notou isso. Claude Johnson, então, encomendou uma estatueta ao mesmo autor da peça, o escultor e ilustrador Charles Robinson Sykes. De início, Johnson pediu algo inspirado na deusa Nice. Mas Sykes acabou entregando uma versão atualizada da ?The Whisper?, feita para Lord Montagu.

Assim nasceu o Espírito do Êxtase, meio que por acaso. Mas a sua alçada a símbolo máximo de luxo sobre rodas deve-se também à força da Rolls-Royce. Não por acaso, tornaram-se inseparáveis.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se