Você está lendo...
Stellantis testa pista que recarrega carros elétricos em movimento
Notícias

Stellantis testa pista que recarrega carros elétricos em movimento

Projeto "Arena Of The Future" está em fase de testes e usa bobinas sob o asfalto para recarregar baterias de veículos elétricos por indução

Vagner Aquino, especial para o Jornal do Carro

29 de jun, 2022 · 6 minutos de leitura.

elétricos
Tecnologia não compromete a superfície da via e promete total segurança aos pedestres
Crédito:Stellantis/Divulgação

Carregadores de smartphones por indução já são conhecidos. Mas os carros elétricos também podem recarregar de maneira semelhante. Inclusive, enquanto trafegam. Isso é realidade em certas estradas da Europa e, também, na Stellantis. Trata-se do circuito "Arena Of The Future", construído em parceria com a empresa de soluções de mobilidade, A35 Brebemi. A pista foi apresentada recentemente na Itália e já está em operação.

A princípio, os carros elétricos podem andar por uma faixa que é recarregável. Isso é possível graças à tecnologia Dynamic Wireless Power Transfer (DWPT), um sistema de bobinas sob o asfalto que transmite energia aos veículos, e recarrega as baterias. Ou seja, no futuro servirá aos carros, caminhões e ônibus. O Fiat 500e, por exemplo, já está em testes.

elétricos
Fiat/Divulgação

A tecnologia poderá recarregar os veículos elétricos equipados com um receptor específico que transfere a energia proveniente da infraestrutura da estrada para o pacote de baterias. Isso, em suma, amplia a autonomia e conserva a carga do veículo, mesmo em alta velocidade. Ou seja, nada de parar para recarregar.

De acordo com os testes já realizados, o sistema - que não usa cabos - tem eficiência comparável aos postos de carregamento rápido. Em síntese, as medições da intensidade do campo magnético provam que não há impacto sobre o condutor e os passageiros. E a superfície da via também não cria qualquer risco para aos pedestres.



Outras vantagens

O circuito Arena of the Future tem alimentação por corrente contínua (DC). Dentre as suas vantagens, a Stellantis aponta a redução da perdas de potência na distribuição de energia. Da mesma forma, há integração com fontes renováveis sem necessidade de conversão da corrente - direta para indireta (AC). De acordo com a revista Time, o sistema foi classificado como uma das 100 invenções mais importantes de 2021. Um marco graças também à conexão 5G.


A tecnologia contempla soluções de IoT (Internet das Coisas), bem como aplicação de IA (inteligência artificial). Assim, facilita o intercâmbio de informações entre o veículo e o sistema de carregamento. Isso aumenta a segurança da estrada e a eficiência das viagens. No futuro, aeroportos, estacionamento e portos poderão usar a plataforma da Stellantis. Afinal, a tecnologia vem atraindo interesse de empresas para o desenvolvimento comercial.

carros elétricos
Lightyear/Divulgação

Elétricos a energia solar

Recentemente, a startup holandesa Lightyear revelou seu um carro elétrico com tecnologia inovadora. Com painéis solares no teto, o cupê de quatro portas pode ficar até sete meses sem descarregar. Será possível? É o que promete o Lightyear 0. O modelo estreia em 2023 com preço de US$ 263 mil, o equivalente a R$ 1,3 milhão na conversão direta. Ou seja, custa na mesma faixa da versão mais cara do Porsche Taycan no Brasil.


Mas cabe explicar que o Lightyear 0 não exclui a necessidade de carregadores. O elétrico apenas dispensa o carregamento de forma tradicional boa parte do tempo. Ele recarrega por meio dos painéis solares. Assim, tem capacidade de gerar energia para percorrer cerca de 11 mil km. E dispensa o carregamento externo da bateria de 60 kWh.

Desse modo, quem se desloca cerca de 35 km por dia pode dispensar o uso de tomadas por até 7 meses, estima a empresa. Entretanto, se o local for menos ensolarado, o tempo médio pode cair para 2 meses, mais ou menos.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se

Deixe sua opinião