Você está lendo...
SUV elétrico Mercedes-Benz EQS estreia com 7 lugares e muito luxo
Lançamentos

SUV elétrico Mercedes-Benz EQS estreia com 7 lugares e muito luxo

SUV topo de linha na gama de elétricos da Mercedes-Benz, EQS é o 1º utilitário com sete lugares movido a baterias; painel tem tela de 56"

Vagner Aquino, especial para o Jornal do Carro

19 de abr, 2022 · 6 minutos de leitura.

Mercedes-Benz
Mercedes-Benz EQS SUV tem opções de cinco ou sete assentos, diversas combinações de cores e acabamentos e até fragrância exclusiva
Crédito:Mercedes-Benz/Divulgação

A Mercedes-Benz apresentou na manhã desta terça-feira (19) o seu modelo topo de linha da família de carros elétricos, o EQS SUV. Por meio de live, a marca alemã mostrou o utilitário por dentro e por fora, e luxo não falta. Trata-se do primeiro SUV com até sete lugares alimentado exclusivamente por baterias. Ele chega às ruas na segunda metade de 2022.

O EQS SUV tem linhas semelhantes ao irmão sedã - que estreou há um ano. E, da mesma forma, tem forte influência do protótipo Maybach Concept EQS SUV, e abusa da elegância. Por fora, tem grade dianteira fechada (como em todo carro elétrico), o capô não abre e, atrás, as lanternas se estendem de uma ponta a outra da carroceria. A iluminação é Full LEDs.

Mercedes-Benz
Mercedes-Benz/Divulgação

No total, o SUV elétrico de luxo mede 5,13 metros de comprimento, por 1,96 m de largura e 1,72 m de altura. Já o entre-eixos tem longos 3,21 m. As rodas são de 20 polegadas.

Mercedes-Benz/Divulgação

O interior do Mercedes-Benz EQS SUV se destaca pelo painel dominado por uma tela gigante de 56 polegadas. Nela, reúnem-se quadro de instrumentos, central multimídia, bem como uma terceira tela que fica voltada ao passageiro da frente. Mas não é só. Quem vai atrás também conta com telas individuais que ficam atrás dos assentos dianteiros.


Mercedes-Benz/Divulgação

Tecnologia de ponta

Chamado de MBUX Hyperscreen, a super tela tem capacidade para reproduzir vídeos mesmo com o SUV em movimento. Mas esse verdadeiro cinema a bordo, de acordo com a Mercedes-Benz, não representa perigo à condução. Afinal, a marca da estrela afirma que o sistema é desabilitado caso o carro perceba que o motorista está olhando para a tela e não para a estrada.

Ou seja, ele utiliza uma câmara de bloqueio inteligente. Além disso, a Mercedes-Benz diz que a tela do passageiro não é visível ao motorista. No mais, como no sedã, há nova geração da assistente virtual, com evolução da inteligência artificial e conexão à internet. Desse modo, oferece atualização remota, tal como ocorre em smartphones, por exemplo.


Mercedes-Benz/Divulgação

Conjunto elétrico

O rival de modelos como Tesla Model X e BMW iX, por exemplo, virá com um pacote de baterias de 107,8 kWh que permite percorrer mais de 600 km com a carga completa. Serão duas versões de acabamento: 450+ e 580 4Matic. Esta última é a mais potente e traz dois motores elétricos com 536 cv e 64,5 mkgf de torque. Ela tem tração integral - como sugere o sobrenome.

Mercedes-Benz
Mercedes-Benz/Divulgação

Já na versão "básica" (450+) tem um motor (posicionado no eixo traseiro) de 355 cv de potência e 42,7 mkgf de torque máximo. Há diversos recursos de segurança e conveniência, como o mais recente sistema de assistência ao motorista da Mercedes-Benz. Entre eles, controle de aceleração, frenagem e outros recursos. A (vasta) lista de série tem, ainda, suspensão pneumática com amortecedores adaptativos, conexão com Apple CarPlay e Android Auto, assistente de voz "Hello Mercedes", entre outros recursos.

E o preço?

O EQS SUV, a princípio, deve entrar em produção na fábrica da Mercedes-Benz em Tuscaloosa (Estados Unidos) nos próximos meses. Por lá, chega aos showrooms no fim do ano. A produção nos EUA, por fim, faz parte dos planos da Mercedes-Benz de produzir oito novos veículos totalmente elétricos em sete locais de três diferentes continentes.

A Mercedes-Benz não divulgou os preços do SUV EQS. Mas não deve ficar tão mais barato que o irmão sedã, que não sai por menos de 100.000 euros (pouco mais de R$ 500.000, na conversão direta). Nesse sentido, por aqui, quando chegar, o SUV certamente passará de R$ 1 milhão na versão topo de linha.


O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se