Você está lendo...
Tiggo 7 Sport chega neste mês com preço agressivo contra Compass
Notícias

Tiggo 7 Sport chega neste mês com preço agressivo contra Compass

Nova versão do Tiggo 7 será mais barata para crescer nas vendas e enfrentar os rivais, mas lista de equipamentos foi enxugada

Thais Villaça, Especial para o Jornal do Carro

16 de fev, 2024 · 4 minutos de leitura.

Publicidade

Caoa Chery Tiggo 7
Caoa Chery Tiggo 7 terá versão R$ 20 mil mais barata
Crédito:Caoa Chery/Divulgação

Chega às lojas no fim de fevereiro uma nova versão de entrada para o Caoa Chery Tiggo 7. Chamada Sport, terá menos equipamentos que as atuais opções do catálogo, a Pro Max Drive e a híbrida leve Pro Hybrid Max Drive. Ambas custam R$ 169.990. Assim, o Tiggo 7 Sport deverá partir de cerca de R$ 150 mil, uma redução de R$ 20 mil. 



A intenção da montadora com o lançamento é impulsionar as vendas do modelo, que poderiam ser melhores. Afinal, até o irmão maior (e mais caro) Tiggo 8 o supera no ranking de emplacamentos. Mesmo tabelado a R$ 179.990 na configuração Max Drive e R$ 239.990 na Pro Plug-in Hybrid. Em 2023, o Tiggo 7 fechou o ano com 6.349 unidades vendidas, enquanto o Tiggo 8 emplacou 9.545 carros. Em janeiro, os números são 587 e 874 unidades, respectivamente.

Além disso, a Caoa Chery pretende ainda tornar o SUV médio mais competitivo no segmento, que tem Jeep Compass e Toyota Corolla Cross como principais representantes. O primeiro - e mais vendido da categoria - parte de R$ 184.990, e o segundo, de R$ 162.590. Ou seja, mesmo mais barato, o Tiggo 7 ainda não decolou, então o preço mais agressivo pode ajudar a obter números de vendas mais expressivos.

Publicidade


Caoa Chery
Caoa Chery/Divulgação

Quais as diferenças do Tiggo 7 Sport?

Para atingir essa redução no preço, diversos itens de conforto e segurança foram eliminados da lista de equipamentos. Entre eles estão câmera 360º, teto solar panorâmico, faróis Full LED e rodas de 18 polegadas. Outro recurso perdido será o pacote de assistências à condução Max Drive, com controle de cruzeiro adaptativo, monitor de ponto cego, sistema de manutenção de faixa e alerta de tráfego cruzado, por exemplo. É a mesma estratégia usada em relação ao Tiggo 5X.

Entretanto, sai de cena o motor 1.6 turbo a gasolina de 187 cv que equipa a versão a combustão. Em seu lugar entra o 1.5 turboflex que rende 147 cv com gasolina e 150 cv com etanol, além de 21,4 mkgf de torque com os dois combustíveis. Esse motor é o da configuração híbrida leve Pro Hybrid Max Drive, mas não haverá o sistema elétrico de 48 volts na Sport. O câmbio será automático do tipo CVT que simula nove marchas.


Siga o Jornal do Carro no Instagram!

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se
Deixe sua opinião