Você está lendo...
Toyota do Brasil terá carro elétrico a hidrogênio movido a etanol
SUMMIT MOBILIDADE: Clique e garanta o seu ingresso promocional Saiba Mais
Notícias

Toyota do Brasil terá carro elétrico a hidrogênio movido a etanol

Com investimento de R$ 50 milhões, Toyota desenvolve carro elétrico a hidrogênio abastecido com etanol brasileiro; sedã Mirai servirá de base

Jady Peroni, especial para o Jornal do Carro

04 de abr, 2023 · 5 minutos de leitura.

Publicidade

Toyota Mirai
Toyota Mirai passará por testes e será cobaia da pesquisa
Crédito:Vagner Aquino/Jornal do Carro

Depois da Stellantis, a Toyota confirmou que trabalha em uma tecnologia com base no etanol como fonte energia para carros elétricos no Brasil. O projeto visa produzir hidrogênio (H2) a partir do combustível derivado da cana-de-açúcar. Para isso, a montadora japonesa anunciou uma parceria com a Shell Brasil, Raízen, Hytron, Universidade de São Paulo (USP), Centro de Pesquisa para Inovação em Gases de Efeito Estufa (RCGI) e o Senai CETIQT.

No projeto do carro elétrico a etanol, a Toyota vai usar o sedã Mirai, primeiro modelo de série da marca movido a célula de combustível. Um exemplar será entregue ao Research Centre for Greenhouse Gas Innovation (RCGI) da USP ainda no primeiro semestre deste ano, onde passará por diversos testes. De acordo com a montadora, além do sedã, o hidrogênio obtido com etanol vai abastecer três ônibus que circularão dentro da Cidade Universitária.

Toyota
Vagner Aquino/Jornal do Carro

Publicidade


Investimento

Para viabilizar o projeto, a Shell Brasil vai investir cerca de R$ 50 milhões. Dessa forma, além de produzir hidrogênio através do etanol, também pretende calcular o carbono “do poço à roda”. Ou seja, o estudo vai mensurar as emissões de CO2 na atmosfera em todos os processos, desde o cultivo da cana-de-açúcar até o consumo do hidrogênio na célula combustível.

“O Brasil tem potencial para ser o protagonista internacional com a descarbonização da frota. Por isso, a Toyota vem investindo, desde o Prius em 1997, em soluções que são práticas e sustentáveis. Uma delas é a tecnologia híbrida flex feita nas nossas plantas de Indaiatuba e Sorocaba, desenvolvida para o Brasil em uma parceria com o Japão, e que se tornou líder no mercado de eletrificados. Agora, com o Mirai abastecido com hidrogênio feito de fonte 100% renovável, como o etanol, o futuro do País pode ser cada vez mais verde”, resume o presidente da Toyota do Brasil, Rafael Chang.



Como é o Toyota Mirai

Basicamente, o Mirai é um sedã com ares de cupê que funciona como carro elétrico. Para gerar energia, no entanto, uma verdadeira química acontece. Em contato com o oxigênio, o hidrogênio se transforma em eletricidade que, por sua vez, alimenta a bateria (1,24 kWh) e, assim, o motor elétrico. É dessa forma que funciona um veículos FCEV (Fuel Cell Eletric Vehicle).


Em 2021, o sedã registrou até um recorde no Guinness Book, quando rodou mais de 1.300 km com uma única recarga. Em relação aos demais dados, o Mirai gera 184 cv de potência e, assim, vai de zero a 100 km/h em 9,2 segundos. O seu motor elétrico fica no eixo traseiro. E sob o capô vai a célula de combustível. Por fim, sob o assoalho ficam os cilindros e a bateria.

Na prática, o hidrogênio é armazenado em tanques, enquanto o oxigênio vem de fora. A mistura dessa reação libera energia, que é transformada em eletricidade. Com isso, recarrega a bateria e alimenta o motor elétrico. Como resultado, o veículo é livre de CO2 e tem autonomia que pode alcançar 600 km. Além disso, o processo químico emite vapor d’água pelo escapamento.


O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se
POLO TRACK PRIMEIRO REVIEW! “PELADO” POR R$ 80 MIL, SERÁ QUE VALE?
Deixe sua opinião