Notícias

TT RS: 15 coisas que você precisa saber

Cupê da Audi, TT estreou em outubro de 1998 no Brasil. Passados 15 anos, ele agora está disponível na versão esportiva RS

27 de set, 2013 · 7 minutos de leitura.

TT RS: 15 coisas que você precisa saber
Crédito:Cupê da Audi, TT estreou em outubro de 1998 no Brasil. Passados 15 anos, ele agora está disponível na versão esportiva RS
Audi TT RS

...Muitas felicidades, muitos anos de vida! A festa aqui é para o Audi TT, que está prestes a completar 15 anos de "vida" no Brasil. O cupê alemão nasceu em março de 1998 na Europa e chegou em outubro do mesmo ano no País.

Para celebrar o aniversário do adolescente, escolhemos a versão RS, que estreou por aqui em março. Topo de linha da gama, destaca-se pelo tempero mais esportivo no visual e no desempenho. Pelos 15 anos, veja então as 15 coisas que você precisa saber sobre este Audi.

1º Preço: a tabela desse pequenino parte de R$ 375.800. Acrescente R$ 15 mil caso deseje bancos do tipo concha.

2º Desempenho: seu motor 2.5 de cinco cilindros em linha, turbo e com injeção direta de gasolina entrega 340 cv de potência e torque de 45,9 mkgf a partir das 1.600 rpm. Nem é preciso dizer que o TT RS "voa". Segundo a fabricante, ele vai de 0 a 100 km/h em 4,3 segundos e tem velocidade máxima de 250 km/h.

3º Ronco do motor: clique aqui e ouça a máquina em ação. O ruído vigoroso emitido pelas saídas do escapamento invade a cabine com uma simples pisada no acelerador. Ele fica ainda mais intenso ao pressionar o modo esportivo, no console.

4º Peso: o TT RS é levinho, pesa apenas 1.475 quilos e 66% da estrutura é de alumínio. Esse porte aliado à alta potência, resulta em agilidade extrema.

5º Transmissão: é automatizada de sete marchas e dupla embreagem, com opção de trocas sequenciais por aletas atrás do volante ou pela manopla do câmbio. As respostas da caixa são muito rápidas.

6º Venenoso: há dois botões de modo S (esportivo). Um deles é posicionado por meio da alavanca do câmbio e aprimora as respostas da transmissão. O outro está no console. Ao apertar o botão, o motor fica mais arisco.

7º Controle de largada: este recurso é indicado para lugares fechados, como uma pista de corrida. Basta acionar os modos "S" e desligar o controle de tração. Em seguida, pise com o pé esquerdo no freio e use o direito para acelerar, sem tirar o pé do freio. Aguarde uns cinco segundos para curtir o barulho do carro sedento por asfalto e então tire o pé do freio. O Audi vai largar com apetite e você sorrirá.

8º Esportivo duro: as suspensões do TT RS são extremamente rígidas e as rodas de 19 polegadas calçadas em pneus de perfil baixo colaboram para aumentar o desconforto em vias esburacadas.

9º Monitor central simples: ao contrário da versão europeia, a vendida no Brasil não conta com sistema multimídia de ponta, com direito à tela sensível ao toque e navegador GPS. O rádio tem apenas tocador de CD e o visual é bem antiquado.

10º Espaço traseiro zero: adultos não conseguem se acomodar de forma decente no banco de trás. Até mesmo crianças tendem a reclamar do espaço.

11º Porta-malas: o compartimento de carga do Audi TT RS merece elogios. Há generosos 292 litros.

12º Manutenção: para um modelo de quase R$ 400 mil, é de se esperar cifras salgadas na hora para peças de reposição. Com base em pesquisa em concessionárias, as revisões até os 30 mil km do modelo totalizam R$ 3.648. Um disco de freio dianteiro sai por R$ 1.180.

13º Direção: do tipo elétrica, é bastante ágil. À medida que o Audi ganha velocidade, ela fica mais firme.

14º Falha em detalhes: o TT RS poderia caprichar mais em alguns aspectos. Pelo que custa, fazem falta sistema de rebatimento automático dos retrovisores, botão para ignição e freio de estacionamento elétrico.

15º Visual charmoso: em 2006, o cupê alemão foi eleito o carro mais bonito do mundo por leitores de uma revista da Alemanha. Ele só tem 15 anos. Imagine quando fizer 18!



Audi TT RS

...Muitas felicidades, muitos anos de vida! A festa aqui é para o Audi TT, que está prestes a completar 15 anos de "vida" no Brasil. O cupê alemão nasceu em março de 1998 na Europa e chegou em outubro do mesmo ano no País.

Para celebrar o aniversário do adolescente, escolhemos a versão RS, que estreou por aqui em março. Topo de linha da gama, destaca-se pelo tempero mais esportivo no visual e no desempenho. Pelos 15 anos, veja então as 15 coisas que você precisa saber sobre este Audi.

1º Preço: a tabela desse pequenino parte de R$ 375.800. Acrescente R$ 15 mil caso deseje bancos do tipo concha.

2º Desempenho: seu motor 2.5 de cinco cilindros em linha, turbo e com injeção direta de gasolina entrega 340 cv de potência e torque de 45,9 mkgf a partir das 1.600 rpm. Nem é preciso dizer que o TT RS "voa". Segundo a fabricante, ele vai de 0 a 100 km/h em 4,3 segundos e tem velocidade máxima de 250 km/h.

3º Ronco do motor: clique aqui e ouça a máquina em ação. O ruído vigoroso emitido pelas saídas do escapamento invade a cabine com uma simples pisada no acelerador. Ele fica ainda mais intenso ao pressionar o modo esportivo, no console.

4º Peso: o TT RS é levinho, pesa apenas 1.475 quilos e 66% da estrutura é de alumínio. Esse porte aliado à alta potência, resulta em agilidade extrema.

5º Transmissão: é automatizada de sete marchas e dupla embreagem, com opção de trocas sequenciais por aletas atrás do volante ou pela manopla do câmbio. As respostas da caixa são muito rápidas.

6º Venenoso: há dois botões de modo S (esportivo). Um deles é posicionado por meio da alavanca do câmbio e aprimora as respostas da transmissão. O outro está no console. Ao apertar o botão, o motor fica mais arisco.

7º Controle de largada: este recurso é indicado para lugares fechados, como uma pista de corrida. Basta acionar os modos "S" e desligar o controle de tração. Em seguida, pise com o pé esquerdo no freio e use o direito para acelerar, sem tirar o pé do freio. Aguarde uns cinco segundos para curtir o barulho do carro sedento por asfalto e então tire o pé do freio. O Audi vai largar com apetite e você sorrirá.

8º Esportivo duro: as suspensões do TT RS são extremamente rígidas e as rodas de 19 polegadas calçadas em pneus de perfil baixo colaboram para aumentar o desconforto em vias esburacadas.

9º Monitor central simples: ao contrário da versão europeia, a vendida no Brasil não conta com sistema multimídia de ponta, com direito à tela sensível ao toque e navegador GPS. O rádio tem apenas tocador de CD e o visual é bem antiquado.

10º Espaço traseiro zero: adultos não conseguem se acomodar de forma decente no banco de trás. Até mesmo crianças tendem a reclamar do espaço.

11º Porta-malas: o compartimento de carga do Audi TT RS merece elogios. Há generosos 292 litros.

Continua depois do anúncio

12º Manutenção: para um modelo de quase R$ 400 mil, é de se esperar cifras salgadas na hora para peças de reposição. Com base em pesquisa em concessionárias, as revisões até os 30 mil km do modelo totalizam R$ 3.648. Um disco de freio dianteiro sai por R$ 1.180.

13º Direção: do tipo elétrica, é bastante ágil. À medida que o Audi ganha velocidade, ela fica mais firme.

14º Falha em detalhes: o TT RS poderia caprichar mais em alguns aspectos. Pelo que custa, fazem falta sistema de rebatimento automático dos retrovisores, botão para ignição e freio de estacionamento elétrico.

15º Visual charmoso: em 2006, o cupê alemão foi eleito o carro mais bonito do mundo por leitores de uma revista da Alemanha. Ele só tem 15 anos. Imagine quando fizer 18!