Mercado

Vendas sobem 10% em maio em lenta recuperação

Números de vendas foram sutilmente melhores do que em abril, mas ainda muito inferiores aos registrados em 2019. Acumulado do ano tem queda de 38% e queda chega a 75% em relação a 2019

Igor Macário

02 de jun, 2020 · 5 minutos de leitura.

veículos concessionárias" >
Vendas de carros escondem surpresas
Crédito:EPITACIO PESSOA/ESTADÃO
vendas

Depois de um mês de abril catastrófico, as vendas de automóveis e comerciais leves novos no Brasil registraram leve alta de 10,29% em relação abril. Ainda assim, o tombo em relação a 2019 continua significativo. Foram emmplacadas 56.639 unidades no mês, 75,81% a menos do que em maio do ano passado.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se

No acumulado do ano, foram emplacados 640.525 carros e comerciais leves. Ainda são 34,14% a menos do que no mesmo período de 2019. Segundo o presidente da Fenabrave, a federação que reúne concessionários e lojistas, Alarico Assumpção Júnior, a sutil melhora nos números é resultado da reabertura de alguns Detrans e concessionárias.

Ações como atendimentos agendados e vendas pela internet, com negociação via telefone, também contribuíram para a reação. Ainda que pequena, a entidade considera um sinal positivo de retomada ao ritmo normal.

A queda em março e abril foi tão abrupta que mudou o panorama da distribuição de veículos no País. Segundo Assumpção, o estado de São Paulo representava 26% de todos os emplacamentos no Brasil antes da crise. Em abril, São Paulo representou apenas 0,9%, número que subiu para 1,6% em maio.

Dias melhores virão

Uma das esperanças para que a retomada das vendas ganhe impulso é a reabertura gradual justamente em São Paulo. As concessionárias de veículos foram incluídas na primeira fase de reabertura do comércio na capital paulista. As lojas deverão reabrir ainda nesta semana. A decisão aguarda apenas sanção do prefeito Bruno Covas. No Rio de Janeiro, as lojas poderão abrir a partir desta terça-feira (2).

Além das lojas abertas, a Fenabrave ressalta a importância da concessão de crédito pelos bancos. "Estamos confiantes que dias melhores virão", resumiu o presidente da entidade.

Dança das cadeiras

Entre os modelos mais vendidos, o Chevrolet Onix mantém a liderança, mas por margem bem menor que o usual. O hatch da GM costumava vender mais que o dobro do segundo colocado. A posição, por vezes disputada entre Hyundai HB20 e Ford Ka, parece ter ficado de vez com o Hyundai.

Nos meses de crise, chama atenção também o "sumiço" de modelos mais caros entre os dez mais vendidos. Toyota Corolla e Jeep Renegade, os mais emplacados entre sedãs e SUVs, respectivamente, foram "empurrados" para baixo na lista.

Já o terceiro lugar em maio da Fiat Strada é notório. As unidades entregues ainda são da geração anterior, com bons descontos, e mostra algum fôlego residual de empresas que elegem a picapinha para suas frotas de serviço.

Veja abaixo os carros mais vendidos em maio:

1) Chevrolet Onix - 3.296 unidades
2) Hyundai HB20 - 2.218 unidades
3) Fiat Strada - 1.983 unidades
4) Renault Kwid - 1.818 unidades
5) Fiat Argo - 1.768 unidades
6) Ford Ka - 1.719 unidades
7) Chevrolet Onix Plus - 1.681 unidades
8) Fiat Toro - 1.662 unidades
9) Volkswagen Gol - 1.616 unidades
10) Volkswagen Polo - 1.570 unidades

Acumulado do ano:

1) Chevrolet Onix - 54.036 unidades
2) Chevrolet Onix Plus - 28.416 unidades
3) Hyundai HB20 - 27.052 unidades
4) Ford Ka - 26.180 unidades
5) Volkswagen Gol - 20.919 unidades
6) Renault Kwid - 20.101 unidades
7) Fiat Argo - 19.724 unidades
8) Fiat Strada - 19.021 unidades
9) Volkswagen Polo - 17.515 unidades
10) Fiat Toro - 16.744 unidades