Mercado

Volkswagen vai parar fábricas brasileiras por dez dias por falta de chips

Em comunicado, Volkswagen reconhece que a falta de semicondutores é grave e que pode ficar sem componentes nos próximos meses

Diogo de Oliveira

11 de jun, 2021 · 5 minutos de leitura.

Volkswagen" >
Fábrica da VW em São José dos Pinhais (PR), de onde sai o SUV T-Cross
Crédito:Volkswagen/Divulgação

A Volkswagen vai voltar a interromper a produção de veículos no Brasil, desta vez não por força da pandemia, mas por falta de semicondutores. Em comunicado, a montadora reconhece a gravidade da crise de chips, que afeta fábricas de variados produtos em todo o mundo.

Dessa forma, a marca anuncia que vai parar suas três fábricas no país por 10 dias, a partir de 21 de junho. Assim, a montadora ficará sem produzir carros até o próximo dia 30. A paralisação afetará, portanto, a produção dos modelos Gol, Voyage, Fox, Polo, Virtus, Nivus e T-Cross.



GM está sem produzir desde março

No Brasil, a crise dos microchips começou a pegar para valer no início deste ano. A primeira a sofrer um revés foi a General Motors. Ainda em março, a GM anunciou a paralisação da produção na fábrica de Gravataí (RS). Lá são feitos os novos Chevrolet Onix e Onix Plus (sedã). Resultado: desde então a dupla, que era líder, despencou no ranking de vendas.

Carro pode ter até 600 chips

Nesta semana, a Anfavea, representante das montadoras, alertou para o problema da escassez de semicondutores. No balanço mensal da indústria, a associação explicou, então, que "um único veículo pode ter até 600 semicondutores em seus sistemas eletrônicos de motorização, câmbio, segurança, conforto, entretenimento, etc".

Recentemente, o chefe do grupo Volkswagen, Herbert Diess, confirmou que a montadora vai produzir os chips de seus carros autônomos. A crise de abastecimento dos componentes mudou os planos.



Leia abaixo o comunicado da montadora na íntegra:

Uma escassez significativa de capacidades de semicondutores está, então, levando a gargalos de fornecimento em muitas indústrias globalmente. Entre elas telecomunicação, computação, eletroeletrônicos, bem como de smartphones. Mas isso também gerou problemas no abastecimento da indústria automotiva ao redor do mundo desde a virada do ano.

Dessa forma, o resultado são adaptações em toda a indústria na produção de automóveis. O que também afeta as marcas do Grupo Volkswagen.

Nos últimos meses, o time da Volkswagen tem trabalhado intensamente. Em parceria com a matriz e fornecedores. Para, assim, minimizar os efeitos da escassez de semicondutores na produção em suas fábricas no Brasil. Entretanto, o cenário atual não demostra o encaminhamento. Nem solução definitiva visando a normalização do fornecimento de chips. Ao contrário, há sérios riscos de agravamento dessa situação nas próximas semanas.

Com base nisso, A Volkswagen do Brasil comunica a paralisação das operações de suas áreas produtivas. As fábricas de São Bernardo do Campo e São Carlos, no Estado de São Paulo, e de São José dos Pinhais, no Estado do Paraná. Todas vão parar a partir de 21 de junho, pelo período de 10 dias.

Continua depois do anúncio

Novas paralisações não estão descartadas futuramente. Caso o cenário global de fornecimento de semicondutores permaneça crítico. O que impactará diretamente as atividades da empresa no Brasil.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se