Diogo de Oliveira, Especial para o Estado

01/04/2021 - 4 minutos de leitura.

Xiaomi vai investir US$ 10 bilhões para criar seu próprio carro elétrico

Gigante chinesa de tecnologia, a Xiaomi anuncia investimento bilionário para desenvolver um carro elétrico e autonomo em dez anos

Xiaomi Redmi SUV
Em 2019, a Xiaomi apresentou o Redmi SUV, uma versão do chinês Besttune T77 equipada com tecnologias embarcadas da marca de eletrônicos Crédito: Xiaomi/Divulgação
Carro

Vai comprar um 0km? Nós te ajudamos a escolher.

Após negar que estaria planejando um carro elétrico, a gigante chinesa de tecnologia, Xiaomi, enfim revelou seus planos. A fabricante de eletrônicos vai investir US$ 10 bilhões nos próximos 10 anos para criar seu carro elétrico. Assim anunciou o CEO da empresa, Lei Jun.

“A Xiaomi espera oferecer veículos elétricos de qualidade para que todos no mundo possam utilizá-los, em qualquer lugar”, diz o comunicado.

Segundo o presidente-executivo, a decisão demandou várias rodadas de conversas com os parceiros. “Este será o grande projeto empresarial final da minha vida”, disse Lei Jun, que, assim, também comandará a subsidiária que vai desenvolver o carro elétrico da Xiaomi.

Projeção do "Micar" da Xiaomi
Reprodução/Gizmochina

Sem previsão de estreia

Por enquanto, a Xiaomi não informou como vai produzir. Nem quando vai lançar o seu automóvel. Inicialmente, a chinesa vai aplicar 10 bilhões de yuan, o equivalente a US$ 1,5 bilhão. Com este montante, vai abrir a subsidiária que tocará o projeto automobilístico.

Os R$ 10 bilhões totais, portanto, serão investidos ao longo de 10 anos. É quando a Xiaomi estima entrar no mercado. Ou seja, no início da próxima década. No entanto, a empresa poderá gastar até US$ 22 bilhões na empreitada. É o que informa a agência de notícias Bloomberg.



Vendas de elétricos disparam na China

Uma pesquisa da consultoria Canalys aponta que as vendas de veículos elétricos na China vai disparar. A expectativa é de alta de 51% em 2021, somando quase 2 milhões de unidades. Para comparação, foram vendidos 296 mil carros elétricos nos EUA em 2020.

Xiaomi Redmi SUV
Xiaomi/Divulgação

Já a S&P Global Platts estima que os carros elétricos representarão cerca de 20% das vendas do mercado chinês em 2025. Não por acaso, a Baidu, rival da Google na China, anunciou o desejo de fabricar carros elétricos.

Inteligência artificial

Assim como Apple, Google e Samsung, a Xiaomi investe pesado em novas tecnologias de inteligência artificial e da internet das coisas. Isso vai permitir conectar o veículo aos smartphones e à residência dos usuários. E acessar lista de compras na geladeira, acionar o ar-condicionado ou mesmo pedir uma pizza no caminho de casa.

Xiaomi Redmi SUV
Xiaomi/Divulgação

Ainda em 2019, a Xiaomi sinalizou interesse nos carros. A empresa apresentou o Redmi SUV em parceria com a conterrânea Bestune. O utilitário T77 recebeu tecnologias da marca de eletrônicos. Entre elas, a multimídia que permitia controlar smartphones da marca.

Carro da Xiaomi também será autônomo

Além de elétrico, futuro carro da Xiaomi será autônomo. Dessa maneira, a chinesa parece seguir a proposta do carro da Apple, com ênfase no uso compartilhado. Mas a Xiaomi também pode partir para modelos premium. E, assim, desafiar a Tesla.

Inscreva-se no canal do Jornal do Carro no YouTube

Veja vídeos de testes de carros e motos, lançamentos, panoramas, análises, entrevistas e o que acontece no mundo automotivo em outros países!

Inscrever-se

Notícias relacionadas


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais