Notícias

Yamaha tem três lançamentos em Milão; apenas MT-03 tem ‘passaporte’ para o Brasil

Na segunda geração, Yamaha Tracer 700 continua longe do Brasil e TMax renovado não deve dar as caras pelo País outra vez

José Antonio Leme, de Milão, Itália

06 de nov, 2019 · 5 minutos de leitura.

milão" >
Tracer 700 tem novo visual e motor de dois cilindros com 698 cm³
Crédito:José Antonio Leme/Estadão
milão

A Yamaha apresentou dois grandes lançamentos no Eicma 2019: TMax e Tracer 700. Os dois modelos, desejados pelos brasileiros continuarão longe do nosso mercado, por enqanto. Tanto o maxi scooter, quanto a trail de média cilindrada não tem previsão de serem vendidos no País. O scooter já foi vendido no Brasil anos atrás.

INSCREVA-SE NO CANAL DO JORNAL DO CARRO NO YOUTUBE

O scooter, cujo motor era um dois cilindros de 530 cm³ agora passou para 560 cm³. Essa é a sétima geração do modelo. Segundo a Yamaha, a mudança de motor foi para poder atender ao Euro5, tal qual outras motos que tiveram crescimento de motor, vide as novas BMW 900. Com isso, a empresa também conseguiu entregar 3,5% mais potência.

Seu visual foi remodelado e ficou mais agressivo com novos LEDs diurnos e faróis também de com a mesma tecnologia. Na traseira, a marca japonesa deu um “tapa” para deixar o design mais fino e estreito, dando a sensação de reduzir as proporções. A transmissão CVT ganhou uma nova correia e o som do motor também foi modificado.

A versão de topo TMAX Tech Max traz algumas amenidades que deixam a vida mais confortável como ajuste elétrico do para-brisa, controle de velocidade de cruzeiro, aquecedores de manoplas, suspensão traseira ajustável e sistema de conectividade com smartphone. No visual, essa versão se diferencia pelas rodas e garfos de suspensão na cor dourada.

Tracer 700

Se a MT-07 faz sucesso no Brasil, não há motivo para que sua irmã, a Tracer 700 também não fizesse, mas não é agora que o modelo virá ao País. A mistura de trail com sport touring com motor de 700 cm³ recebeu uma série de melhorias, como um novo visual, em conformidade com as irma Tracer 900.

Faróis, lanternas e luzes diurnas são de LEDs e se destacam já pelo formato adotado pela Yamaha. Tudo isso para se enquadrar na nova linguagem visual da Yamaha para seus modelos. O motor dois cilindros de 698 cm³ também passou por melhorias no sistema de injeção e de ignição. O escape foi remodelado e a relação de câmbio alterada.

As suspensões dianteiras e traseiras da Tracer 700 podem ser ajustadas, bem como o para-brisa – que agora tem sistema que permite ajustá-lo com apenas uma mão. Pelo menos nós, brasileiros, não sofremos sozinhos pela Tracer 700, o mercado norte-americano também não tem acesso ao modelo.

MT-03

A única moto nova no estande da Yamaha que tem passaporte carimbado para o Brasil, e inclusive pode ser uma das estrelas do Salão Duas Rodas, em novembro, é a MT-03. O modelo foi renovado para entrar em conformidade com o restante da linha MT. As principais mudanças ficaram a cargo do visual com LEDs diurnos e um farol de LED centralizado e escondido sob a carenagem e a nova suspensão dianteira invertida, mesma coisa que ocorreu com a R3, sua equivalente com carenagem.

A balança traseira, tal qual na R3, tem desenho assimétrico e, segundo a Yamaha, oferece maior estabilidade na roda traseira durante frenagens, curvas e aceleração. O motor foi mantido: dois cilindros de 321 cm³ que rende 42 cv e 3 mkgf. O câmbio tem seis velocidades.

JORNALISTA VIAJOU A CONVITE DA HONDA