Porsche 914 é estrela de coleção

Raro modelo 1972, fruto de parceria com a Volkswagen, está entre os preferidos de restaurador


Acostumado a circular em meio a automóveis antigos desde a infância, o restaurador Francisco Toti Neto, de 34 anos, é dono de um acervo com mais de 30 clássicos. Entre as estrelas de sua coleção há um Porsche 914, ícone surgido nos anos 70 e fruto da parceria entre a marca de esportivos e a Volkswagen.

++ Siga o Jornal do Carro no Facebook
++ Coleção de Paul Walker será vendida

O modelo é targa – a capota pode ser retirada, mas o vidro traseiro e uma espécie de santantônio ficam fixos à carroceria. Fabricado em 1972, tem motor Boxer 1.7 de 85 cv. “Por não ter sido bem aceito pelos ‘porschistas’, esse carro teve pouco mais de 3.300 unidades fabricadas. Tal detalhe o torna ainda mais raro”, conta Toti.

Apesar da potência acanhada, o Porsche é gostoso de guiar por ser leve e ter motor central, aspecto que o deixa bastante equilibrado, de acordo com o restaurador. “Essas são características de antigos modelos de competição”, diz.

Toti afirma que os primeiros carros de rua com essa configuração de motor foram os italianos Ferrari Dino e Lamborghini Miura. “Dos alemães, o pioneiro foi o 914.”

A capota fica guardada no porta-malas traseiro. No compartimento da dianteira ficam o pneu estepe, a chave de roda e o manual do proprietário.

Tudo neste 914 funciona perfeitamente. “Adoro sair com ele pela manhã e cortar a neblina com os fachos dos faróis. Curto a forma de funcionamento deles”, diz Toti, referindo-se ao sistema escamoteável, assinado pela Karmann.

O Porsche chegou às mãos do colecionador há cerca de dois anos. Estava em ótimo estado e pertencia a um amigo dele, que aceitou outros antigos como parte do pagamento. Toti conta que recebeu algumas propostas pelo carro e que o venderia por R$ 65 mil. “Mas há espaço para negociar”, diz.

Parceria. O 914 surgiu na Alemanha, em 1970, com duas missões bem definidas: suceder o 912 e ser um Porsche com preço mais acessível. Também atendia as necessidades da Volkswagen, que precisava de um substituto para o Type 34, nome pelo qual era conhecida a segunda geração do Karmann Ghia.

A parceria permitiu que o modelo fosse oferecido tanto no mercado europeu quanto em outros países. Um aspecto curioso do acordo é que, nos EUA, por exemplo, o 914 tinha o emblema da Audi ao lado do da Porsche. Na Europa, era o logo VW que ficava ao lado do da marca de esportivos.

Ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais

Notícias relacionadas


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais