Carros 0km

Chevrolet Bolt lado
Chevrolet Bolt EV 2020
Inmetro
Chevrolet Bolt EV 2020 logo
Chevrolet Bolt interior
Chevrolet Bolt EV 2020 painel
Recarga do Chevrolet BOlt
Chevrolet Bolt EV 2020 painel
Volkswagen

Chevrolet BOLT 2019


Chevrolet BOLT

Chevrolet Bolt EV

Fabricado nos Estados Unidos, o Chevrolet Bolt EV, carro 100% elétrico, é vendida no Brasil em versão única Premier. A bateria de 66 kwh permite que ele tenha 416 km de autonomia. O modelo elétrico entrega o equivalente a 203 cv de potência e 36,7 kgfm de torque, totalmente alcançado logo na primeira acelerada. Segundo a montadora, o teste de 0 a 100 km/h leva 7,3 segundos.

Chevrolet Bolt EV é um automóvel espaçoso para quatro ocupantes adultos, devido às dimensões de 4,16 m de comprimento, 1,76 m de largura, 1,61 m de altura e 2,60 m de distância entre-eixos. O porta-malas aloja 478 litros e, se os bancos traseiros estiverem rebatidos, a capacidade de bagagem aumenta para 1.603 litros.

O carro está bem servido de equipamentos. A lista inclui sistema de visão 360 graus com câmeras auxiliares, 10 airbags, assistente de permanência na faixa, alerta de ponto cego, aviso de tráfego traseiro cruzado, alerta de colisão frontal e frenagem automática com detecção de pedestres para mitigar eventuais acidentes.

One Pedal

Uma grande solução tecnológica do Chevrolet Bolt EV é o modo de direção One Pedal, que guarda semelhança com o E-pedal do Nissan Leaf. O princípio do One Pedal é o mesmo: quando o motorista tira o pé do acelerador, o carro começa a frear automaticamente. O sistema é mais instantâneo no Leaf; no Bolt demora um pouco mais até a parada total.

Internamente, o carro elétrico da Chevrolet tem painel digital com tela de oito polegadas que, entre outras funções, avisa a autonomia, e central multimídia MyLink de 10,2 polegadas, compatível com Apple CarPlay e Android Auto. O visor mostra um gráfico que exibe a regeneração da bateria ou se ela está mandando energia cinética para as rodas.

O aparelho de recarga completa a bateria em dez horas, ou seja, cada hora de atividade produz energia suficiente para o Chevrolet Bolt EV rodar 40 km. Em eletropostos, o recarregamento total leva uma hora e meia

Prós

  • Silêncio ao rodar
  • Autonomia da bateria
  • Bom desempenho

Contras

  • Valor do aparelho de recarga de bateria
  • Acabamento poderia ser melhor
  • Revisão não em preço fixo

Indicado para

Família
Trabalho

CHEVROLET BOLT EV Premier

Preço

R$ 175.000

Carroceria

Hatchback

Motor

- cilindros -

Transmissão

automática

Potência

203

Torque

Não informado pela montadora

Comprimento

4166

Altura

1594

Largura

1765

Distância entre eixos

2600

Porta-malas

479

Velocidade máxima

146

Aceleração

6.5

Consumo urbano

Não informado pela montadora

Consumo rodoviário

Não informado pela montadora

Versões a partir de

R$ 175.000

3.3

3.3 de 5

Custo/Benefício

3

Design

3

Consumo

4

Potência

4

Tecnologia

4

Conforto

3.5

Acabamento

3

Manutenção

2

Modelos similares


JAC E-JS1
JAC E-JS1

A partir de R$ 159.900

Mini COOPER
Mini COOPER

A partir de R$ 169.990

Mercedes-Benz CLASSE A
Mercedes-Benz CLASSE A

A partir de R$ 190.900

Toyota PRIUS
Toyota PRIUS

A partir de R$ 184.990

Lexus CT200H
Lexus CT200H

A partir de R$ 165.990

Jornal do Carro
Dica do Tião

Quando mexer na suspensão do carro?

Perder estabilidade ou conforto na hora de dirigir não é normal

14 de jan, 2022 · 4 minutos de leitura.

O motorista deve ficar atento ao comportamento do carro. Em caso de perda da estabilidade ou do conforto do veículo, é importante procurar um especialista, a fim de avaliar se o amortecedor ou outro componente da suspensão precisa ser substituído. 

O desgaste é detectado por meio de equipamentos apropriados, como o shocktester, que avalia a função de amortecimento da peça. Se chegou o momento de substituí-la, o ideal é fazê-lo aos pares. “Trocar uma só pode causar o desequilíbrio entre as rodas do mesmo eixo, prejudicando a dirigibilidade”, destaca Rubens Fagundes, assistente técnico da Cofap.

Mesmo que o motorista adote uma condução cuidadosa, sem impactos contra buracos, lombadas e guias, evitando acelerações e freadas bruscas, o ideal é realizar inspeções periódicas na suspensão a cada 5 mil quilômetros ou de acordo com o indicado no manual do proprietário. 

“Não se pode esquecer a manutenção preventiva da suspensão. Afinal, da mesma forma que um amortecedor com falha reduz a vida de outros elementos, o contrário também acontece”, afirma Fagundes. “Componentes da suspensão deteriorados diminuem a vida do amortecedor, que acaba trabalhando em condições desfavoráveis.”

Não confie nos amortecedores recondicionados

Outra medida é não alterar as condições originais da suspensão, modificando seus elementos para rebaixar ou elevar o veículo. 

Ao providenciar a reposição, não confie em recondicionados. As partes internas e o óleo são especialmente desenvolvidos para a fabricação dos amortecedores seguindo rígidas especificações e não estão disponíveis para venda no mercado. 

“Se um amortecedor perdeu eficiência, não dá para recondicioná-lo. Para isso, seria necessário abri-lo, identificar e trocar os componentes internos desgastados por peças originais e fechá-lo de modo correto e seguro”, explica o especialista. “Os recondicionadores não têm condição técnica de executar todas essas etapas.”

Lembre-se dos seguintes pontos ao trocar o amortecedor:

1 – O desgaste no amortecedor é detectado por equipamentos apropriados.

2 – O ideal é substituir os amortecedores aos pares.

3 – Não confie em amortecedores recondicionados.

4 – Fique atento ao entorno: outros componentes deteriorados prejudicam o amortecedor.