Avaliação

Aceleramos os carros elétricos Volkswagen ID.3 e ID.4 em São Paulo

Dupla de elétricos da Volkswagen que será vendida no Brasil a partir de 2022 mostra disposição e força ao volante; equipamentos são destaque

Vagner Aquino, especial para o Jornal do Carro

07 de dez, 2021 · 11 minutos de leitura.

Elétricos Volkswagen
Elétricos Volkswagen ID.3 e ID.4 estão em testes no Brasil e estreiam em 2022
Crédito:Volkswagen/Divulgação

Em época de mudanças climáticas - e aquecimento global -, muito se fala sobre carros elétricos. Até no Brasil, que está entre os mercados emergentes, já tem algumas opções disponíveis ao público, com modelos para diversos gostos e bolsos. E é nesse último quesito que a Volkswagen aposta suas fichas, afinal, a meta é popularizar a categoria por meio da chegada do hatch ID.3. Entretanto, como o mercado pede SUVs, o ID.4 também está na manga. E nós dirigimos essa dupla.

Há alguns meses a Volkswagen anunciou que importaria unidades de ambos para testes. Dirigi-los por São Paulo ajuda a repensar o automóvel. Mostra também que os elétricos engatinham a passos lentos no Brasil. Mesmo na região nobre da cidade mais rica do País - local do test-drive -, não encontramos sequer um carro elétrico rodando pelas ruas. Ou seja, há uma longa estrada até esses carros se tornarem comuns nas ruas daqui.

Elétricos Volkswagen
Volkswagen/Divulgação

E é justamente de olho em acelerar esse processo que a VW vai dar esse passo. Mas, antes da chegada oficial - prevista para o começo do ano que vem, no caso do ID.3 (o ID.4 fica para depois) - é preciso entender alguns pontos, que vão desde revendedores e locais para recarga até a requalificação de mão de obra. Afinal, será preciso reaprender tudo em mecânica? ou melhor: eletrônica.

Em ambos os carros, as baterias são dispostas no assoalho. A ideia é melhorar o aproveitamento do habitáculo e, ainda, ajudar na estabilidade, com centro de gravidade mais baixo. São elas que por sua vez, alimentam o motor, posicionado no eixo traseiro tanto no hatch quanto no SUV.

Elétricos Volkswagen
Volkswagen/Divulgação

Especificações

No ID.3, o pacote de baterias tem 58 kWh. A autonomia total chega a 426 km (ciclo WLTP), de acordo com a Volkswagen. Já no ID.4, a configuração das baterias é maior. São 77 kWh, número que permite ao SUV rodar até 522 km com uma recarga.

Tanto o ID.3 quanto o ID.4 ainda não tinham detalhado as opções de motorização disponíveis para o Brasil. Entretanto, as duas unidades às quais tivemos acesso têm motor traseiro (tração traseira, portanto) em posição transversal. São, em ambos, 150 kW. Isso equivale a 204 cv. O torque é de 31,6 mkgf - ou 310 Nm.

Elétricos Volkswagen
Volkswagen/Divulgação

Câmbio não há. Afinal, motor elétrico tem torque máximo desde 1 rpm. Para selecionar as posições, um pequeno manete colado no quadro de instrumentos.

Cabe salientar que os dados do ID.3 e do ID.4 são parecidos devido a construção. A princípio, ambos são baseados na plataforma MEB - voltada aos elétricos do Grupo Volkswagen.

VW ID.3
Volkswagen/Divulgação

Itens de série

Em relação a itens de série, tanto o hatch quanto o SUV apresentam boa lista na versão First Edition Max. Têm faróis matrix iluminados por LEDs, com ajustes automáticos que adaptam às condições de luminosidade, obstáculos e reflexos. O ar-condicionado tem duas zonas (três no ID.4), carregador wireless para smartphones e suspensão dianteira McPherson e Multilink na parte de trás.

Mas a cereja do bolo dos concorrentes de, respectivamente, Nissan Leaf e Volvo XC40 Recharge (nada confirmado pela VW, que ainda estuda o posicionamento) é o entretenimento. No topo do painel, tela de 10" no ID.3 e 12" no ID.4. A central de entretenimento da dupla de elétricos em Full HD tem excelente resolução e atualização remota.

Continua depois do anúncio

No mais, conexão à internet, comando de voz e projetor de realidade aumentada no para-brisa - não é apenas um head up display. Tem, ainda, entradas USB espalhadas pela cabine, partida por meio de botão (ou apenas pisando no pedal do acelerador) e sistema de iluminação ambiente. Há, por fim, controle de cruzeiro adaptativo, manutenção em faixa e outros itens que auxiliam a condução.

Elétricos Volkswagen
Volkswagen/Divulgação

O teste

Chega a hora de dirigir os carros, que chamam a atenção pelas linhas, assinadas pelo brasileiro Marco Pavone, chefe mundial de design exterior da Volkswagen. O ID.3 tem capô curtinho e traseira em tom negro para contrastar com o restante da carroceria. Já no ID.4, chama atenção o capô elevado e a traseira alta.

O espaço interno é digno de elogios em ambos os modelos. Os dois têm entre-eixos de 2,77 metros. Diversos componentes também são iguais na dupla, desde os materiais sensíveis ao toque, até a quase total ausência de botões físicos e o quadro de instrumentos. O acabamento é impecável.

Elétricos Volkswagen
Volkswagen/Divulgação

Direção, ambiente e até o conjunto de suspensões da dupla seguem a excelente dinâmica da linha Volkswagen atual. Rigidez na medida certa. Tudo parece normal, só que o ID.3 e ID.4 não fazem barulho. É preciso atenção redobrada com os pedestres.

Na base da tela central, um botão (sensível ao toque) permite selecionar os modos de condução. Mas não dá para acompanhar o processo por animação na tela central ou no painel de nenhum dos dois. Com a tecla Sport pressionada, por exemplo, o carro parece se armar. E o bote chega justamente quando pisa-se no acelerador. Fica mais forte. De quebra, a direção enrijece e ganha precisão.

VW ID.4
Volkswagen/Divulgação

Travado, mas econômico

Além disso, lá na alavanca de transmissão do ID.3 e do ID.4, dá para selecionar a posição "B" e, com isso, aumentar a regeneração dos freios. Na prática, quanto mais regeneração, mais a sensação de freio motor. É pouco prático em trechos de trânsito, porque o carro fica extremamente duro em baixa velocidade. Entretanto, vale pela economia de bateria.

Em síntese, o ID.3 é sempre disposto e cheio de força, tem respostas imediatas. Deve ser divertido no dia a dia. Já o ID.4, tem a mesma mecânica, mas pareceu mais pesadão e tem direção mais dura (mesmo no modo Comfort). Talvez essa seja a herança do peso extra. Enquanto o ID.3 tem 1.720 quilos, o ID.4 não pesa menos que 2.049.

Essa diferença reflete, inclusive, nos números de desempenho. Mais leve, o hatch chega mais rápido aos 100 km/h (7,3 segundos) contra 8,5 segundos do SUV. Já a velocidade máxima é a mesma em ambos: 160 km/h.

Elétricos Volkswagen
Volkswagen/Divulgação

Pesos, tamanhos e números de desempenho

Cara a cara, o ID.3 tem tamanho equivalente ao Golf. O visual é limpo. No total, mede 4,26 metros de comprimento, 1,81 m de largura e 1,57 m de altura. O volume do porta-malas fica em 385 litros. As rodas têm aro 20.

Apesar de ter a mesma plataforma - e o mesmo espaço interno do ID.3 -, o ID.4 foi ampliado tanto na frente quanto atrás. São, nesse sentido, 4,58 m de comprimento, 1,85 m de largura e 1,64 m de altura. No porta-malas digno de sedãs de luxo cabem até 543 litros. As rodas também são maiores: 21".

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se

Ficha Técnica

VW ID.3 First Edition Max

VW ID.4 First Edition Max

Preço

Indefinido

Preço

Indefinido

Motor

Elétrico

Motor

Elétrico

Potência

204 cv (150 kW)

Potência

204 cv (150 kW)

Torque

31,6 mkgf

Torque

31,6 mkgf

Capacidade da bateria

58 kWh

Capacidade da bateria

77 kWh

Comprimento

4,26 metros

Comprimento

4,58 metros

Entre-eixos

2,77 metros

Entre-eixos

2,77 metros

Porta-malas

385 litros

Porta-malas

543 litros

Peso

1.720 kg

Peso

2.049 kg

0 a 100 km/h

7,3 segundos

0 a 100 km/h

8,5 segundos

Veocidade máxima

160 km/h

Veocidade máxima

160 km/h