Notícias

Audi Skysphere é autônomo sem volante nem pedais que pode crescer de tamanho

Primeiro de uma gama de conceitos, Audi Skysphere Concept antecipa nova família de carros elétricos de alto luxo da marca das quatro argolas

Jady Peroni, Especial para o Jornal do Carro

18 de ago, 2021 · 8 minutos de leitura.

Audi skysphere concept" >
Audi skysphere concept é o primeiro de três modelos da nova família de carros-conceito da montadora alemã.
Crédito:Divulgação/Audi

Os carros-conceito são feitos para impressionar e também para revelar uma visão de futuro. Pois a Audi mostrou algumas imagens do seu mais recente protótipo, o Skysphere Concept. O roadster de luxo é o primeiro modelo de uma gama inédita de protótipos da marca. E um dos detalhes mais curiosos é que o veículo pode até mesmo mudar de tamanho e crescer 25 cm.

A inspiração para o conceito Skysphere veio da Horch 853, uma das marcas representada pelas quatro argolas ? as outras são Audi, DKW e Wanderer. Assim, o novo roadster de duas portas antecipa como será o desenho dos futuros carros da fabricante alemã. O modelo é 100% elétrico e tem sistema de condução autônoma de nível 5, o mais alto da escala internacional.

Ou seja, o Skysphere é capaz de rodar de forma 100% automática e não traz itens como volante nem pedais. E não é só. O protótipo é inovador em vários aspectos. Entre os destaques, traz dois motores elétricos, um em cada eixo, bem como um sistema que permite aumentar o tamanho do entre-eixos em até 25 cm, ampliando o conforto em viagens longas.

Por isso, o esportivo conceitual de luxo da Audi conta com duas formas de condução diferentes, que são escolhidas ao toque de um simples botão. De acordo com a fabricante, o carro foi transformado em uma plataforma de "experiências cativantes".

O Jornal do Carro já acompanhando os avanços da Audi na corrida pela eletrificação. Neste ano, a marca anunciou que lançará somente carros elétricos a partir de 2026.

Skysphere concept
Divulgação/Audi

Versões e funcionamento

Em primeiro lugar, para entregar essa dinâmica única, o Skysphere comporta um motor elétrico de 623 cv que se encontra no eixo traseiro. Ele é responsável por enviar energia às rodas.

Em seguida, um mecanismo exclusivo torna possível o deslizamento dos componentes. Possibilitando, inclusive, ajustes como comprimento e altura. Nessa linha, pode aumentar em até 250 milímetros e 10 milímetros respectivamente.

Mas não é tudo. O roadster futurista ainda entrega autonomia para aproximadamente 500 km. E arranca até os 100 km/h em cerca de 4 segundos. Por causa das baterias e outros recursos avançados, o modelo pesa por volta de 1.800 kg e é pesado para um carro esportivo. O seu pacote de baterias tem capacidade de armazenamento de 80 kWh.



Voltando aos modos de condução oferecidos, o protótipo tem os ajustes esportivo e "Grand Touring". No primeiro, o roadster se adequa a uma distância entre-eixos de 4,94 metros e 1,23 metro de altura. Nesta configuração, é guiado pelo motorista, otimiza o centro de gravidade e aumenta a aerodinâmica do elétrico.

Já no modo "Grand Touring", que dirige é a tecnologia autônoma. Ou seja, o volante e os pedais são recolhidos para um compartimento embutido no painel, e o veículo faz todo o trabalho sozinho. Assim, a distância entre-eixos cresce e o comprimento chega a 5,19 m.

Audi Skusphere Concept
Divulgação/Audi
Continua depois do anúncio

Ecossistema digital

Para acompanhar as funções extravagantes, o interior do novo Audi não poderia entregar menos. Por isso, traz estética extremamente luxuosa e sustentável. Em primeiro lugar, no modo "Grand Touring", o veículo se torna em uma grande "sala". O painel frontal tem uma tela gigante de 1.415 mm de largura por 180 mm de altura que traz todas as informações.

Se o carro for utilizado na versão esportiva, ou seja, conduzido pelo motorista, o interior se transforma em um "cocktip com ergonomia perfeita", segundo descreve a Audi. Nele, os painéis também se movem para melhorar a disposição e ajudar na leitura dos dados.

Audi skysphere concept 4
Divulgação/Audi

Inspiração no clássico

De acordo com o designer da Audi e Head do projeto, Marc Lichte, o Skysphere teve inspiração no clássico Horch 853. Trata-se de um conversível de luxo de 1937, que tinha carroceria longa (tipo limusine) com 5,20 metros de comprimento.

Contudo, além das dimensões e da motorização elétrica, a grande diferença está no desenho do carro. Principalmente, os conjuntos enormes de 23 polegadas que preenchem quase que totalmente os largos arcos das caixas de rodas.

Na dianteira, a grade é iluminada por LEDs brancos que produzem efeitos visuais. Além disso, leva o emblema da marca. Na traseira, LEDs vermelhos vão de ponta a ponta para criar uma iluminação dinâmica.

Audi skysphere concept
Divulgação/Audi

A montadora afirma, por fim, que o Skysphere também teve muitas inspirações no movimento Art Déco. Um estilo francês das artes plásticas aplicados, geralmente, em decorações.

Lançamento

O Audi Skysphere estreou na Semana do Carro Monterey, na Califórnia (EUA), um dos maiores eventos de carros clássicos e de luxo do mundo. Além dele, outros dois modelos farão parte dessa nova família: o Audi Grandsphere, que será revelado ainda neste ano, e o Urbansphere, que estreia em público apenas em 2022.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se