Você está lendo...
BYD Shark ou Ford Ranger V6? Veja qual se destaca pela ficha técnica
Comparativo

BYD Shark ou Ford Ranger V6? Veja qual se destaca pela ficha técnica

Picape média da BYD, Shark enfrenta a Ford Ranger V6 em nosso comparativo técnico; as dimensões parelhas não significam picapes similares

Rodrigo Tavares, especial para o Jornal do Carro

19 de mai, 2024 · 8 minutos de leitura.

Publicidade

BYD Shark e Ford Ranger V6 se enfrentam em nosso comparativo técnico
Crédito:Daniel Silveira/Estadão/BYD/Divulgação/Montagem/Rodrigo Tavares

O mercado de picapes médias é bem movimentado, e a concorrência está sempre se atualizando. É o caso da chinesa BYD, que recentemente exibiu no México sua aposta para o segmento: a picape Shark. Cotada para chegar ao mercado brasileiro e até mesmo ter fabricação por aqui, a opção da BYD precisará, antes de tudo, encarar a concorrência, como a Ford Ranger, por exemplo.



Uma das picapes médias mais potentes do País, impulsionada pelo motor 3.0 V6 Turbodiesel de 250 cv e 61,2 mkgf, é hoje tida como uma das melhores opções do mercado. Será que a BYD Shark e seu conjunto híbrido são páreo para a opção já consolidada da Ford? Pensando nisso, fizemos um comparativo técnico entre as duas.

Desempenho: BYD Shark sai na frente

BYD/Divulgação

Publicidade


Antes de falar propriamente sobre desempenho, é preciso apontar as diferenças entre as picapes. A Shark é a primeira picape híbrida plug-in da marca, algo ainda inédito no mercado brasileiro, enquanto a Ranger ainda é movida inteiramente a combustão, por exemplo. Dito isto, mediante os números, a opção da BYD sai na frente.

Híbrida, ela tem dois motores elétricos, junto do conjunto a combustão: na dianteira, o quatro cilindros 1.5 turbo de 194 cv, e um elétrico de 231 cv de potência e 21,4 mkgf de torque. Sob o eixo traseiro está o segundo motor, também elétrico de 204 cv de potência e 36,7 mkgf de torque. Sua potência combinada está nos 480 cv, e o torque, não divulgado, deve ser na casa dos 70 mkgf.

DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO

Já a Ranger “civil” mais potente (desconsiderando a variante esportiva Raptor) possui o motor 3.0 V6 de 250 cv e bons 61,2 mkgf de torque, a baixos 1.750 rpm. Para comandar o conjunto mecânico está a transmissão automática de 10 velocidades. Apesar da clara diferença entre potências, o torque, considerando a estimativa da imprensa especializada entre as duas, é parelho. Importante citar que a Ranger oferece uma versão híbrida em outros mercados, mas não no Brasil.

Consumo: híbrido plug-in vs. combustão

No consumo, novamente as picapes entram em embate. A média da Ford, segundo dados oficiais, consegue médias de 8,9 km/l na cidade, e 10,2 km/l no rodoviário. Seu tanque de Diesel de 80 litros entrega uma autonomia urbana de 712 km, e rodoviária de 816 km. Já a BYD Shark não teve dados de consumo revelados, mas o que se sabe é que promete 840 km de alcance combinado, no modo híbrido. No modo elétrico, entretanto, seu alcance é de 100 km.

Tecnologia embarcada é presente nas picapes médias

DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO

Em matéria de tecnologia a bordo, os modelos tem suas maneiras de seduzir o comprador. Na picape da Ford, conforme a versão, o quadro de instrumentos digital tem 8 ou 12,4 polegadas e o sistema multimídia, tela de 8″ ou 12″, em posição vertical. Entre os destaques há farol alto com facho automático e freio de estacionamento com acionamento eletrônico. Assim como opções de modos de condução, frenagem automática de emergência, monitoramento de ponto cego, de tráfego cruzado atrás e câmeras 360°, e mais.

BYD/Divulgação

Já na Shark, os mostradores ficam na tela de LCD com 10,25 polegadas, enquanto no centro do painel a tela giratória de 10,8″ concentra as funções multimídia. Além disso, o motorista conta ainda com Head-Up display. Em compensação, a Shark vem com Wi-Fi 5G integrado e assistente virtual. Pode-se acionar com um “Hi BYD”, e pedir, por exemplo, para abrir e fechar vidros, ligações por celular, acionar navegação, ar-condicionado e ventilação, entre outras funções.


Dimensões e valores

BYD/Divulgação

Comparando as dimensões das picapes, temos dados parelhos. A BYD Shark mede 5,46 metros de comprimento, 1,97 m de largura, 1,92 m de altura e 3,26 m de entre-eixos. Seu peso é de 2.665 kg, com caçamba de 1.400 litros. Já a Ranger mede 5,37 m de comprimento, 1,88 m de altura, 2,21 m de largura (com os espelhos), 3,27 m de entre-eixos e caçamba de 1.250 litros. Seu peso é de 2.357 kg, fazendo da rival chinesa mais pesada, por exemplo. Na Ranger, a capacidade de reboque também é maior, com 3.100 kg, contra 2.500 kg da rival.

Ford Ranger 2024
DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO

Entretanto, caso a compra aconteça pensando em uma condução off-road, precisa-se também comparar as picapes. Na Shark, seu vão-livre do solo é de 21 cm, seu ângulo de ataque mede 31° e o de saída mede 19,3°, com inclinação máxima de 30°. Já na Ranger, o vão-livre é de 23 cm, seu ângulo de ataque mede 30°, e o de saída mede 26°, com inclinação máxima de 35°.

Por fim, quanto a valores, ainda é cedo para dizer quanto a BYD Shark custará ao comprador brasileiro. Cotada para produção no Brasil, ela pode chegar inicialmente importada, por exemplo. Estima-se que seu preço final esteja por volta dos R$ 300 mil, próximo do valor pedido pela Ranger Limited V6: R$ 319.990, por exemplo.

Jornal do Carro também está no Instagram!


O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se
Novo VW T-Cross 2025 é mais sofisticado sem subir de preço

Deixe sua opinião