Você está lendo...
Chevrolet lança o elétrico Bolt no Brasil
Lançamentos

Chevrolet lança o elétrico Bolt no Brasil

Depois da apresentação feita no Salão do Automóvel de São Paulo, no ano passado, agora a montadora passa a vender o Bolt

Hairton Ponciano

01 de nov, 2019 · 6 minutos de leitura.

GM
O Chevrolet Bolt foi lançado no Brasil por R$ 175 mil
Crédito:Rebecca Cook/Reuters

Depois da apresentação oficial durante o Salão do Automóvel de São Paulo, no ano passado, agora a Chevrolet passa a vender o elétrico Bolt no Brasil. A Chevrolet manteve o preço divulgado de R$ 175 mil pela versão topo de linha Premier, a única disponível.

As vendas começam hoje (01), mas as entregas serão feitas a partir do início do ano que vem. A Chevrolet está lançando um plano de financiamento, que prevê entrada de R$ 70 mil, 47 parcelas de R$ 1.733 e uma parcela residual de R$ 52.500. Juntamente com o carro, a Chevrolet está oferendo um carregador rápido, por R$ 8.300.

O Bolt está chegando como linha 2020. Entre os itens de série, há dez air bags. São dois frontais, dois de joelhos (para motorista e passageiro), dois de cortina, dois laterais na frente e mais dois laterais atrás. Além disso, o modelo vem com bancos aquecidos e ventilados, carregador de celular sem fio, câmera de 360 graus com imagem reproduzida no retrovisor externo, tela multimídia de 10,2 polegadas, frenagem automática, etc.


O motor rende 203 cv de potência e 36,7 mkgf de torque. Graças a ela, o carro é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 7,3 segundos. O Bolt ganhou nova composição química na bateria, que resultou em maior capacidade e acréscimo de autonomia. O modelo tinha 383 km, e agora saltou para 416 km. Com o carregador de 240 Volts, o tempo de carga, segundo a Chevrolet, é de nove horas. Nas estações de carregamento, que têm maior capacidade, é possível obter 160 km de autonomia em 30 minutos, garante a fabricante.

As vendas começam inicialmente em 25 concessionárias, espalhadas por 22 cidades de nove estados. A garantia do carro é de três anos, mas a bateria é garantida por oito anos. O carregador tem garantia de um ano para a instalação, e de dois anos para o equipamento. De acordo com a Chevrolet, o Bolt chega para concorrer não apenas com veículos elétricos, mas com híbridos e automóveis com motor a combustão na mesma faixa de preço. É o caso, por exemplo, do elétrico BMW i3 e de modelos como Volvo XC 40, Audi A3, Mercedes-Benz Classe A, etc.

Ao volante do Bolt

No ano passado, tivemos um rápido contato com o carro, e a primeira impressão foi muito positiva. Assim que o painel se acendeu, apareceu a informação de que, mesmo sem carga total, o carro poderia rodar até 337 km. A autonomia varia de acordo com o estilo de condução. Nominalmente, ela chega a 380 km, no modelo testado na época.




Ao pisar com força no acelerador, a resposta é digna de esportivo. O desempenho tende a surpreender quem for levado a achar que o estilo sóbrio não reserva muita emoção ao volante. O Bolt é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 6,5 segundos, informa a Chevrolet. O motor elétrico de 200 cv de potência e 36,7 mkgf de torque é muito mais forte que o do Renault Zoe, por exemplo, com 92 cv e 22,4 mkgf. O hatch francês, porém, é mais barato. Custa a partir de R$ 149.990, e tem autonomia de 240 km.

A Nissan também vende o Leaf. O hatch japonês, produzido na Inglaterra, tem potência em um nível intermediário entre o Zoe e o Bolt. São 149 cv, e torque de 32,6 mkgf, portanto um pouco inferior ao do elétrico da Chevrolet. A autonomia estimada é de 240 km. O preço é de R$ 195 mil, e inclui um carregador de parede (wallbox). Segundo a Nissan, ele permite carga completa em oito horas.

O Bolt tem interior moderno e espaçoso, painel digital com gráficos claros e porta-malas amplo. Em uma tomada de 240 Volts, o tempo estimado de carga é de pouco mais de nove horas. A garantia é de oito anos ou 160 mil km.