Notícias

E o criador faria 150 anos

Thiago Lasco Em 13 de julho de 2013, aquele que é considerado um dos pais da indústria automobilística completaria 150... leia mais

02 de jan, 2013 · 4 minutos de leitura.

E o criador faria 150 anos
Crédito:

Thiago Lasco

Em 13 de julho de 2013, aquele que é considerado um dos pais da indústria automobilística completaria 150 anos, se ainda estivesse vivo. O engenheiro Henry Ford introduziu o conceito da linha de montagem, que permitiu produção de carros em grande escala e com custos baixos.

(Confira a fan page do Jornal do Carro no Facebook: https://www.facebook.com/JornaldoCarro)

Para comemorar a efeméride, a Ford norte-americana realizará diversos eventos ao longo do próximo ano. O primeiro é a exposição do mais antigo exemplar da marca ainda existente, um Modelo A de 1930 pertencente ao bisneto de Henry, Bill Ford.

Henry teve talento precoce para a mecânica. Ainda criança, já fazia reparos nas máquinas da fazenda da família. Aos 30 anos, criou seu primeiro veículo, um quadriciclo parecido com uma carruagem.

Dez anos depois, ele fundou a Ford Motor Company. A empresa nascida em 16 de junho de 1903 é hoje a terceira maior fabricante de automóveis do mundo, atrás de VW e Toyota.

MODELO T
Carro mais célebre da Ford, o T foi lançado em 1908 e vendeu mais de 15 milhões de unidades ao longo de seus 19 anos de produção. Tinha motor quatro-cilindros 2.8 que entregava 20 cv e atingia 70 km/h.

Primeiro carro feito em linha de montagem, tinha no preço um de seus trunfos: custava apenas US$ 825.

Com o declínio das vendas do T, a equipe de Ford criou o Modelo A, cuja carroceria foi desenhada pelo filho de Henry, Edsel. O carro foi produzido de 1927 a 1931 e se tornou outro sucesso de vendas.

Henry Ford morreu em 7 de abril de 1947, em decorrência de uma hemorragia cerebral. Um ano depois, sob o comando do neto Henry Ford II, a montadora atingiu a primeira posição em vendas mundiais.

Nas décadas seguintes, a Ford produziu outros modelos icônicos, como o Thunderbird e o Mustang.

Em 2008, o Ford T foi eleito o carro do século 20 por um júri de 133 jornalistas de 33 países, incluindo o Brasil. Ele desbancou concorrentes como o Fusca e o Porsche 911.


Thiago Lasco

Em 13 de julho de 2013, aquele que é considerado um dos pais da indústria automobilística completaria 150 anos, se ainda estivesse vivo. O engenheiro Henry Ford introduziu o conceito da linha de montagem, que permitiu produção de carros em grande escala e com custos baixos.

(Confira a fan page do Jornal do Carro no Facebook: https://www.facebook.com/JornaldoCarro)

Para comemorar a efeméride, a Ford norte-americana realizará diversos eventos ao longo do próximo ano. O primeiro é a exposição do mais antigo exemplar da marca ainda existente, um Modelo A de 1930 pertencente ao bisneto de Henry, Bill Ford.

Henry teve talento precoce para a mecânica. Ainda criança, já fazia reparos nas máquinas da fazenda da família. Aos 30 anos, criou seu primeiro veículo, um quadriciclo parecido com uma carruagem.

Dez anos depois, ele fundou a Ford Motor Company. A empresa nascida em 16 de junho de 1903 é hoje a terceira maior fabricante de automóveis do mundo, atrás de VW e Toyota.

MODELO T
Carro mais célebre da Ford, o T foi lançado em 1908 e vendeu mais de 15 milhões de unidades ao longo de seus 19 anos de produção. Tinha motor quatro-cilindros 2.8 que entregava 20 cv e atingia 70 km/h.

Primeiro carro feito em linha de montagem, tinha no preço um de seus trunfos: custava apenas US$ 825.

Com o declínio das vendas do T, a equipe de Ford criou o Modelo A, cuja carroceria foi desenhada pelo filho de Henry, Edsel. O carro foi produzido de 1927 a 1931 e se tornou outro sucesso de vendas.

Henry Ford morreu em 7 de abril de 1947, em decorrência de uma hemorragia cerebral. Um ano depois, sob o comando do neto Henry Ford II, a montadora atingiu a primeira posição em vendas mundiais.

Nas décadas seguintes, a Ford produziu outros modelos icônicos, como o Thunderbird e o Mustang.

Em 2008, o Ford T foi eleito o carro do século 20 por um júri de 133 jornalistas de 33 países, incluindo o Brasil. Ele desbancou concorrentes como o Fusca e o Porsche 911.

Continua depois do anúncio