BYD Dolphin
Diogo de Oliveira/Estadão

'Efeito Dolphin': preço dos carros elétricos caiu até R$ 100 mil em 2023

Após lançamento do BYD Dolphin com preço competitivo, marcas correram para reposicionar seus modelos eletrificados no mercado brasileiro

Por Jady Peroni 20 de dez, 2023 · 8m de leitura.

O BYD Dolphin causou uma reviravolta no mercado brasileiro neste ano. O hatch elétrico da marca chinesa, cotado para ganhar produção na fábrica de Camaçari (BA) a partir de 2025, estreou com tabela de R$ 149.800. E, desde então, vem quebrando recordes. Pois, para combater o modelo, que tem porte de Chevrolet Bolt, várias montadoras entraram em uma corrida para reposicionar os preços dos seus carros elétricos e híbridos no Brasil.

Um exemplo recente dessa estratégia é o Peugeot e-2008. A marca do leão reduziu pela terceira vez o preço do SUV elétrico. Por aqui, o modelo já chegou a custar R$ 259.990. Agora, parte de R$ 159.990. Ou seja, uma redução bastante razoável de R$ 100 mil. Mas não é só. A francesa também anunciou desconto no hatch elétrico e-208. O compacto, que já custou R$ 276.990, está disponível por R$ 225.990 na tabela oficial.

dolphin x e-2008
Peugeot/Divulgação

Seja como for, a Peugeot não foi a única que baixou o preço nesse valor. O grupo Caoa, por exemplo, que representa a linha de importados da Hyundai, reduziu a tabela de três modelos: Kona EV (elétrico), Kona HEV e Ionic (ambos híbridos). No entanto, o Kona a bateria foi o que mais chamou a atenção com uma redução também de R$ 100 mil, assim como o SUV da Peugeot. Dessa forma, o modelo parte atualmente de R$ 189.990.

Preços mais competitivos

Em seguida, a Caoa Chery baixou a tabela do iCar em R$ 30 mil. Assim, o elétrico parte de R$ 119.990. Além disso, a Renault entrou na onda e barateou o Kwid E-Tech. O hatch movido a bateria teve um desconto de R$ 10 mil e passou a custar R$ 139.990. Depois, a montadora fez uma nova ofensiva e o, no momento, o modelo tem preço a partir de R$ 123.490. Ou seja, são mais de R$ 16.500 de desconto. E o Kwid está mais barato que o Dolphin.

Dessa forma, o lançamento da BYD fez com que todo o mercado de elétricos e híbridos se movimentasse. Afinal, as reduções não estão apenas nos rivais chineses, como o JAC E-JS1, que também caiu de preço e e ficou bem mais barato que o Dolphin, por R$ 126.900. Até o Mini Cooper S E baixou sua tabela para R$ 199.990, bem com o Seres 3 BEV, que baixou de R$ 239.990 para R$ 199.990. Dessa forma, teve um desconto de R$ 40 mil.


Hyundai Kona EV
Diogo de Oliveira/Estadão

Cabe citar os lançamentos que já chegam com tabela diferenciada após a estreia do BYD Dolphin.  A GWM, por exemplo, lançou o Ora 03 com preços competitivos a partir de R$ 150 mil para tentar bater o rival. Além disso, houve a pré-estreia do Volvo EX30 no começo de junho com tabela inicial de R$ 230 mil. Ou seja, os eletrificados deram o que falar.

Maiores descontos após a chegada do BYD Dolphin

Seja como for, o Jornal do Carro separou os 15 modelos que mais baixaram de preço desde a estreia do BYD Dolphin. A tabela foi atualizada com os preços sugeridos atuais. Confira:


  • 1) Hyundai Kona EV (elétrico): De R$ 289.990 por R$ 189.990 (-R$ 100 mil)
  • 2) Peugeot e-2008 (elétrico): De R$ 259.990 por R$ 159.990 (-R$ 100 mil)
  • 3) Mini Cooper S E (elétrico): De R$ 285 mil por R$ 199.990 (-R$ 85.100)
  • 4) Peugeot e-208 (elétrico): De R$ 276.990 por R$ 225.990 (-R$ 51 mil)
  • 5) Hyundai Ioniq (híbrido): De R$ 199.990 para R$ 149.990 (-R$ 50 mil)
  • 6) BYD Song Plus DM-i (híbrido): De R$ 269.990 para R$ 229.800 (-R$ 40 mil)
  • 7) BYD Yuan Plus (elétrico): De R$ 269.990 por R$ 229.800 (-R$ 40 mil)
  • 8) Hyundai Kona HEV (híbrido): De R$ 209.990 por R$ 169.990 (-R$ 40 mil)
  • 9) Seres 3 BEV (elétrico): De R$ 239.990 por R$ 199.990 (-R$ 40 mil)
  • 10) JAC iEV330P (elétrico): De R$ 369.900 por R$ 334.900 (-R$ 35 mil)
  • 11) Caoa Chery iCar (elétrico): De R$ 149.990 por R$ 119.990 (-R$ 30 mil)
  • 12) Renault Kwid E-Tech (elétrico): De R$ 149.990 por R$ 123.490 (-R$ 26,5 mil)
  • 13) JAC E-J7 (elétrico): De R$ 255.900 por R$ 234.900 (-R$ 21 mil)
  • 14) JAC E-JS1 (elétrico): De R$ 145.900 por R$ 126.900 (-R$ 19 mil)
  • 15) JAC E-JS4 (elétrico): De R$ 242.900 por R$ 229.900 (-R$ 13 mil)
Caoa Chery iCar
ALEX SILVA/ ESTADAO

Imposto de importação volta em 2024

Seja como for, tudo pode mudar com a volta da cobrança do imposto de importação para elétricos e híbridos logo no início de 2024. Com base nos processos de produção de cada modelo, a tributação retornará de forma progressiva. Além disso, levará em conta os níveis de eletrificação dos veículos – se é híbrido leve, completo ou do tipo plug-in, por exemplo. No caso de veículos híbridos, aliás, a alíquota do imposto começa com 15% em janeiro de 2024. Depois, passa para 25% em julho de 2024, para 30% em julho de 2025 e, por fim, terá alíquota cheia (35%) em julho de 2026.

Siga o Jornal do Carro no Instagram!


O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se
Volvo EX30: aceleramos o novo SUV elétrico em Barcelona
Newsletter Jornal do Carro

Complete seu cadastro para receber as últimas notícias do Jornal do Carro diretamente no seu e-mail.

Campo obrigatório
Tudo certo!

Seu cadastro foi enviado. Em breve você receberá as últimas notícias do Jornal do Carro diretamente no seu e-mail.