Mercado

Gol bate R$ 90 mil e Voyage beira os R$ 100 mil em nova alta de preços

Além de Gol e Voyage, alta também eleva preços da picape Saveiro, que já encosta nos R$ 110 mil; Jeep Commander também sobe e vai a quase R$ 290 mil

Vagner Aquino, especial para o Jornal do Carro

07 de out, 2021 · 6 minutos de leitura.

Gol" >
Gol parte de R$ 65.590 no modelo de entrada e quase encosta nos R$ 90 mil com todos os opcionais
Crédito:Volkswagen/Divulgação

Houve um tempo em que os brasileiros faziam filas nos supermercados para garantir a compra de alguns itens, cujos preços aumentavam absurdamente de uma hora para outra. Esse era o resultado da hiperinflação que o País viveu entre as décadas de 1980 e 1990. Houve até venda racionada por causa da alta procura e os valores dos produtos eram remarcados diariamente devido à oscilação. Hoje em dia, a situação não é tão extrema, porém, as altas constantes voltaram a assombrar o Brasil. E o setor automotivo não passou ileso. O ex-popular Volkswagen Gol, por exemplo, já beira os R$ 90 mil.

E não é só o Gol. Voyage e Saveiro também acompanharam a alta - que virou praticamente mensal ao longo de 2021. No caso do Gol, a opção de entrada (1.0) passou de R$ 64.950 para R$ 65.590. Nesse sentido, alta de R$ 640. Já o modelo topo de linha, com motor 1.6 e câmbio automático de seis marchas teve o maior impacto no valor final. Subiu nada menos que R$ 800, chegando a R$ 80.690.

Contudo, caso o cliente queira o modelo completaço - com o pacote Urban Completo (R$ 7.190), que traz mais equipamentos e detalhes estéticos - não desembolsará menos de R$ 89.490. Só o pela pintura metálica (cinza ou prata), a Volkswagen pede R$ 1.610.

Gol
Volkswagen/Divulgação

Sedã e picape

No caso do Voyage 1.0, a alta foi de R$ 760. O preço pulou de R$ 75.190 para R$ 75.950. Na opção topo de linha (com a mesma combinação mecânica do Gol), contudo, agora custa R$ 88.290. Alta de R$ 900 ante os R$ 87.390 praticados anteriormente. Com todos os opcionais, no entanto, o sedã compacto chega a quase R$ 100 mil.

Com a diferença de apenas 47 litros no porta-malas, dá para levar um Nivus para a casa, já que o pseudo SUV custa R$ 105.120 na versão básica Comfortline. Cabe salientar, entretanto, que este último é um projeto mais novo, com mais equipamentos e motor mais eficiente. Um tem 1.0 aspirado de 84 cv, já o outro conta com o 1.0 turbo de 128 cv.

Volkswagen/Divulgação

no caso da Saveiro, preços partem de R$ 70.990 (versão Robust CS). A picape, no entanto, teve o menor aumento do trio, entre R$ 300 e R$ 700, dependendo da versão. Mas são quase R$ 110 mil na opção topo de linha (Cross), já com a pintura metálica inclusa. Para se ter ideia do absurdo, a picape, que está há anos na mesma geração e nunca foi páreo para a Fiat Strada, consegue ser mais cara que sua única rival direta. Pela configuração Volcano, completa, a Fiat cobra R$ 104.930.

Jeep

Por falar em Fiat, a Stellantis também aproveitou a onda de aumentos e tratou de reajustar o Commander. É isso aí, o jipão de sete lugares nem chegou às ruas e já ficou mais caro. De acordo com a Jeep, o aumento nos preços englobará, inclusive, quem encomendou o carro a partir de 31 de agosto. Isso, certamente, ocasionará desistências.

Jeep/Divulgação

Questionada pelo Jornal do Carro, a Jeep informa que o cliente poderá desistir da reserva até a data da assinatura do contrato de compra e venda. Caso opte, o valor de R$ 5.000 (pago como garantia) será devolvido. Até o momento, mais de 10 mil unidades foram vendidas.

Em valores, a alta - de aproximadamente 3% - resulta em R$ 6.000 extras nas versões Limited e R$ 8.000 nas configurações Overland. Nesse sentido, os novos preços são de, respectivamente, R$ 205.990 e R$ 227.990 (motor 1.3 flex). Já quando equipado com motor 2.0 turbo diesel e tração 4x4, o Commander chega a R$ 265.990 (Limited) e R$ 287.990 (Overland). Até então, os preços iam de R$ 199.990 a R$ 279.990.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se