Novo Corolla está melhor no desempenho e na estabilidade

Toyota Corolla 2020 ficou mais ágil nas acelerações e retomadas, e também mais estável

corolla
Novo Toyota Corolla Crédito: Toyota/Divulgação

A 12ª geração do Toyota Corolla chega às concessionárias nesta quinta-feira (5) com novidades que devem complicar ainda mais a vida da concorrência. Com nova plataforma, o sedã médio mais vendido do Brasil passa a trazer suspensões independentes nas quatro rodas, igualando-se ao Honda Civic. Além disso, o carro produzido em Indaiatuba (SP) é o primeiro híbrido flexível do mundo – a tecnologia está disponível na versão de topo.

Outra novidade é o novo motor 2.0. Esse propulsor está nas versões GLI, que tem preço de R$ 99.990, XEI (com tabela de R$ 110.990) e Altis (R$ 124.990). A versão Altis híbrida também custa R$ 124.990, mas não traz o pacote premium da Altis 2.0. Entre outros itens, esse kit inclui teto solar, banco do motorista com regulagem elétrica e ar de duas zonas.

Na parte prática, bastou a primeira curva na estrada para o novo Corolla começar a mostrar o resultado da nova plataforma GA-C. Mesmo com piso molhado e uma sequência de curvas abertas e fechadas, o modelo 2020 do sedã apresentou comportamento exemplar. A nova suspensão independente na traseira (que substitui o eixo de torção) manteve o carro no caminho, sem o menor sinal de desobediência.

Estamos na versão XEi, intermediária, e a que deverá ser a mais vendida do sedã (entre 40% e 50% do total). O carro, que custa R$ 110.990, está com posição ao volante ligeiramente menor, o que melhora a experiência de dirigir. Como o centro de gravidade foi reduzido em 1 cm e a carroceria desceu 2 cm, havia a desconfiança de que o sedã raspasse com mais facilidade em lombadas, por exemplo. A resposta é não. E, para isso, o roteiro do teste, no Guarujá, foi providencial, porque no caminho não faltaram lombadas e buracos.

Quando o novo motor 2.0 flexível foi convocado a mostrar suas credenciais, as respostas também foram satisfatórias. A aceleração sobe rapidamente, graças aos 177 cv (etanol). O torque de 21,4 mkgf também satisfaz, apesar de que ele aparece em sua plenitude aos 4.400 rpm. Além disso, o propulsor mostrou sintonia com o também novo câmbio automático continuamente variável (CVT).

—————— LEIA MAIS ——————

Câmbio mecânico e automático ao mesmo tempo

As saídas mais vigorosas devem-se à primeira marcha, feita com engrenagem mecânica, e não por polias e correias, como nos CVTs convencionais. Graças a isso, o Corolla não apresenta aquela típica hesitação entre aceleração e respostas, típica de carros com CVT. A partir da segunda, aí sim o câmbio com polias e correia entra em ação.

Tanto nas acelerações como nas retomadas, o sedã agrada plenamente. Na versão XEi, há ainda borboletas no volante, que simulam dez marchas (uma mecânica mais nove do CVT). A tecla Sport no console central melhora ainda mais as respostas.

Suspensão continua suave

Além de mais estável, a suspensão do Corolla preservou uma antiga característica do Corolla: a suavidade. Mesmo andando sobre asfalto esburacado, o sistema filtrou bem as imperfeições, sem passar solavancos ou ruídos para a cabine. E isso levando-se em conta que o modelo vem com rodas de 17 polegadas e pneus de perfil baixo (225/45). As rodas de 17″ são de série nas versões XEi e Altis. A GLI, básica, vem com conjunto de 16″ e pneus 205/55. Todas são de liga leve.

Painel melhorou muito

O novo painel tem aspecto muito superior ao anterior, que deixava o Corolla muito datado. O destaque é a central multimídia com tela de 8″ e botões físicos nas laterais. Há quem tenha criticado o resultado, chamando-o de “TV de tubo”. Realmente ele domina o ambiente, mas é uma novidade bem-vinda, e é de série em todas as versões.

O acabamento também agrada, graças às superfícies macias tanto no painel como nas laterais de portas. Como o entre eixos não mudou (manteve os 2,7 metros), o espaço é bom tanto na frente como atrás.

Os dois apoios de cabeça saltados no banco de trás não causam boa impressão visual, mas não comprometem a visibilidade do motorista (só o apoio central é regulável).

Versão híbrida também mostra qualidades

Quem se pautar apenas pelos dados da ficha técnica pode achar que o novo Corolla Altis Hybrid fica devendo em desempenho. Afinal, enquanto o modelo 2.0 flexível rende até 177 cv, o híbrido tem 123 cv declarados. Mas o modelo, que custa R$ 124.990, responde com muita agilidade quando os três motores (dois elétricos e um a combustão) entram em ação, mandando força para as rodas dianteiras.

Nos circuitos urbanos, em baixa velocidade, as duas unidades elétricas, de 72 cv e 16,6 mkgf, dão conta do recado, principalmente em trechos de tráfego intenso. Mas, quando o motorista pisa um pouco mais no acelerador, o 1.8 flexível de até 101 cv entra em ação, e o sedã de 1.440 kg deslancha com facilidade. O Corola híbrido, a propósito, pesa apenas 35 kg a mais que o Altis 2.0.

O Inmetro divulga média urbana de cerca de 16 km/l de gasolina, mas na avaliação foi fácil passar dessa média, a julgar pelo computador de bordo. O Corolla híbrido, aliás, tem quadro de instrumentos de TFT de 7″ colorido, mostrando dados como gasto e recuperação de energia, além das informações normais.

De acordo com a Toyota, o Corolla Altis terá participação de cerca de 50% do mix de produção, dividida meio a meio entre o modelo 2.0 e o híbrido. A básica, GLi, deverá ficar com cerca de 10%.

Pró: dirigibilidade

Com a diminuição do centro de gravidade, suspensão independente e aumento de potência, carro ficou mais gostoso de dirigir.

Contra: freio de mão mecânico

Em um carro que evoluiu tanto, destoa a alavanca manual do freio de estacionamento

Ficha técnica

Corolla XEi

Preço
R$ 110.990
Motor
2.0, 4 cil., 16V, flexível
Potência (cv)*
177 a 6.600 rpm
Torque (mkgf)
21,4 a 4.400 rpm
Câmbio
Automático, CVT
Comprimento
4,63 m
Entre eixos
2,7 m
Porta-malas
470 litros
Peso
1.405 kg

Corolla Altis Hybrid

Preço
R$ 124.990
Motor a combustão
1.8, 4 cil., 16V, flexível
Potência (cv)*
101 a 5.200 rpm
Torque (mkgf)
14,5 a 3.600 rpm
Motores elétricos
Dois
Potência (cv)
72
Torque (mkgf)
16,6
Câmbio
Automático, CVT
Peso
1.440 kg


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais


Notícias relacionadas