Notícias

Projeto de lei que incentiva o uso de veículos eletrificados é aprovado pela Alesp e segue para a sanção de Dória

Projeto de Lei defende isenção do IPVA para modelos elétricos durante 5 anos, bem como o reajuste da frota do Governo estadual para veículos elétricos

Emily Nery, para o Jornal do Carro

17 de mar, 2021 · 5 minutos de leitura.

híbrido sedãs" >
Toyota Corolla Hybrid foi o híbrio mais vendido do Brasil em 2020
Crédito:Toyota/Divulgação
corolla

No início de março, a Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) aprovou um projeto de lei que autoriza o Governo de São Paulo a promover uma política estadual para incentivar o uso de veículos eletrificados.

A PL 1256/2019, de autoria do deputado estadual Emidio de Souza (PT), pretende zerar a tributação do IPVA de carros elétricos, bem como reduzir pela metade o imposto sobre carros híbridos pelos próximos cinco anos.

Cabe reiterar que entram neste plano modelos híbridos cujo preço seja inferior a 8 mil UFESP (Unidade Fiscal do Estado de São Paulo). Isto é, menos que R$ 232.720, de acordo com o valor instituído em 2021. Assim, os automóveis cabíveis neste projeto são o Toyota Corolla, Corolla Cross e Prius.

Toyota-Prius-tras
O Toyota Prius seria um dos poucos híbridos que estaria dentro do programa para isenção do IPVA

Além disso, o texto prevê a abertura de linha de crédito prioritária para incentivar a produção de veículos eletrificados. O governo estadual, sobretudo, deverá mudar gradualmente sua frota de veículos para modelos elétricos.

Desse modo, até 2025, 10% da frota veicular da Polícia Militar, Polícia Civil e Detran deverá dispor de propulsão elétrica. Assim como a composição do sistema de transporte coletivo deverá ter 5% de veículos elétricos.

Para 2035, cerca de 90% dos veículos do Estado de São Paulo deverão ter motorização elétrica. Contudo, o texto libera ao Poder executivo definir o cronograma de alteração da frota.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se

Parceria com parques tecnológicos

De acordo com a PL, o governo do Estado pode estabelecer parceria com Parques Tecnológicos, Institutos de Pesquisa, empresas e universidades. De modo que essas instituições possam “realizar obras de infraestrutura de suporte aos veículos”.

Na justificativa, Emidio argumenta: “a proposta apresentada vai no esteio de diversas experiências bem sucedidas em vários países que optaram por veículos movidos à base de energia renovável”, explica.

O deputado ainda menciona uma pesquisa de 2009 sobre a “Estratégia de Implantação do Carro Elétrico no Brasil?, feita pelo economista Joao Paulo dos Reis Velloso.

jac
Por R$ 154.900, o JAC IEV 20 é o carro elétrico mais barato do país JAC/DIVULGAÇÃO

Por fim, a conclusão foi que o carro elétrico trazia uma relação custo-benefício melhor do que o carro a combustão. “Naquele tempo os mesmos recursos gastos com um automóvel comum poderiam manter três automóveis elétricos.”

Para entrar em vigor, o Projeto de Lei precisa ser sancionado pelo governador estadual João Dória (PSDB).

Continua depois do anúncio

Vendas de elétricos bateram recorde em 2020

Embora 2020 tenha amargado recordes negativos de venda, o setor de carros híbridos e elétricos comemorou com um aumento de 66,5% nos emplacamentos. O mercado pulou de 11.858 unidades em 2019 para 19.745 em 2020, segundo a Fenabrave.

Certamente, o país ainda engatinha neste segmento, e falta infraestrutura que permite o crescimento de carros eletrificados no país, como uma ampla rede de postos de carregamento. Além disso, um dos principais desafios para o este tipo de veículo se tornar popular é seu alto preço.