Você está lendo...
Tesla fará recall de 475 mil carros por risco de defeito em câmera e capô
Notícias

Tesla fará recall de 475 mil carros por risco de defeito em câmera e capô

Tesla Model 3 e Model S fabricados entre 2017 e 2020 podem, respectivamente, apresentar defeito na câmera retrovisora e no capô dianteiro

Vagner Aquino, especial para o Jornal do Carro

01 de jan, 2022 · 5 minutos de leitura.

Tesla Model S
Tesla Model S pode apresentar problema no capô dianteiro
Crédito:Tesla/Divulgação

A Tesla vai fazer um recall de 475.318 unidades dos Model 3 e Model S. O objetivo é corrigir eventuais defeitos em câmeras e na trava do capô. De acordo com a Administração Nacional de Segurança de Tráfego Rodoviário (NHTSA) dos Estados Unidos, esses veículos foram feitos entre 2017 e 2020.

A campanha abrange 356.309 Tesla Model 3. Eles podem apresentar problemas na câmera traseira. A falha ocorre quando a tampa do porta-malas é acionada para abrir ou fechar. Além disso, 119.009 Tesla Model S devem passar por recall devido ao risco de problema no funcionamento da trava do capô dianteiro. Seja como for, os números de chassis dos carros afetados não foram divulgados pela Tesla.

Tesla Model 3 Perfomance
Tesla/Divulgação

De acordo com a NHTSA, que cuida da segurança viária e de veículos nos EUA, o acionamento frequente da tampa do porta-malas pode desgastar o chicote elétrico ligado à câmera traseira. Assim, a projeção das imagens na tela do sistema multimídia dos dois modelos pode apresentar falhas intermitentes. Bem como o sistema pode parar de funcionar totalmente.

No caso do Model S, o conjunto da trava da tampa dianteira pode estar desalinhado. Assim, há possibilidade de o capô se abrir espontaneamente. Desse modo, há risco de obstrução da visão do motorista com o carro em movimento. Nesse caso, é grade a possibilidade de acidentes graves.

A Tesla informa que enviará avisos aos proprietários desses veículos sobre os detalhes do recall. Porém, o atendimento só deve começar em meados de fevereiro. Seja como for, até o momento não houve registo de acidentes relacionados aos problemas descritos pela NHTSA.


Tesla Model S
Tesla/Divulgação

Mais polêmicas

Cabe recordar que, em dezembro de 2021, a Tesla foi citada pela NHTSA por causa de outros defeitos em seus veículos. A agência notificou a marca por causa de uma questão ligada à atualização de um software. Ou seja, o sistema de entretenimento passou a permitir que o motorista jogue videogame na tela central com o veículo em movimento. De acordo com a Tesla, será feito um ajuste na atualização revertendo essa possibilidade.

De acordo com o NHTSA, da maneira como o ajuste foi feito, é grande o risco de acidente. Segundo a agência, a combinação de sistemas de direção autônoma e motoristas distraídos causou ao menos 12 mortes nos EUA desde 2016. Em todos os casos, os veículos eram modelos da Tesla rodando no modo automático. Ou seja, sem interferência de alguém ao volante.


Tesla Auto Pilot
Reprodução/Youtube

O sistema de condução autônoma da Tesla vem recebendo críticas de forma frequente. Isso ocorre inclusive no Brasil. Recentemente, um homem estava dormindo ao volante de um Tesla Model 3. O caso foi registrado na Rodovia dos Imigrantes, que liga São Paulo ao litoral sul paulista.

Segundo Rafael Zamarian Leonhardt, o dono do carro, o Auto Pilot estava ativado. Contudo, ele garante que estava acordado. Porém, no Brasil o uso do dispositivo é proibido. Isso porque a legislação do País determina que o motorista mantenha as mãos no volante quando o veículo estiver em movimento.


O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se