Volkswagen encerra produção do Fusca após 81 anos

Último exemplar do Fusca saiu da linha da fábrica de Puebla, no México, hoje (10)

fusca
ÚLTIMA UNIDADE DO FUSCA SAINDO DA LINHA DE PRODUÇÃO DE PUEBLA, NO MÉXICO Crédito: VOLKSWAGEN MÉXICO/TWITTER/REPRODUÇÃO

A Volkswagen acaba de encerrar uma história iniciada há 81 anos e deu origem à marca. Hoje (10), a última unidade do Fusca deixou a fábrica de Puebla, no México. O modelo ficou conhecido pelo nome de Beetle (besouro) no mundo todo.

No início da tarde de hoje (10), por meio da conta da Volkswagen mexicana no Twitter, a imagem do último Fusca deixando a linha de produção. O carro, da série especial Last Edition, é da versão cupê, com teto rígido. O Beetle conversível já havia deixado de ser feito.

O Beetle Last Edition tem detalhes cromados, espelhos da cor da carroceria e limpadores de faróis com jatos d’água aquecidos, entre outros diferenciais. De série, o Fusca tem partida por botão, volante multifuncional revestido de couro e pedais feitos de alumínio. Há ainda central multimídia.

O motor é um 2.0, com turbo, a gasolina. O quatro-cilindros gera 180 cv de potência e 25,4 mkgf de torque. O câmbio é automático de seis velocidades. A tração é na dianteira.

Desde a segunda geração, que surgiu em 1998 e foi batizada de New Beetle, o carro utiliza a plataforma do Golf. Até então, o Fusca tinha motor de quatro cilindros do tipo boxer – com cilindros horizontais opostos. A refrigeração era a ar.

O carro que sai agora de cena é da terceira geração, lançada em 2011. Com ela a Volkswagen adotou o “nome local” utilizado em cada mercado onde ele era vendido. Veja, mais abaixo, o nome pelo qual o modelo era chamado em mais de 40 países diferentes.

História do Fusca

O “carro do povo” deu início à Volkswagen. O símbolo da marca, um “V” sobre “W”, são as iniciais de Volks (povo) e Wagen (veículo). O projeto foi encomendado por Adolf Hitler a Ferdinand Porsche em 1935. Anos depois, serviria de base para a criação do 356, primeiro carro da Porsche e precursor do 911.

A ideia era oferecer um resistente e de baixo custo para motorizar a Alemanha. O Fusca foi lançado em 1938 se transforou em um dos veículos mais vendidos do mundo. Conhecido como Type 1, o modelo é baseado nos projetos Typ 12 e Typ 32, assinados por Porsche.

Fusca no Brasil

No Brasil, o modelo foi batizado de Volkswagen Sedan, Mas logo passou a ser chamado de “Fusca”. O novo nome acabou sendo adotado pela fabricante. Sua origem tem a forma como os brasileiros pronunciavam a Volkswagen.

Em alemão, o “V” tem som de “F” e o W tem som de “V”. No caso da sigla VW, os alemães da empresa pronunciavam algo como “fauvê”. Daí pra virar “Fusca” foi um pulo.

No Brasil, a produção do simpático carrinho teve início em 23 de março de 1953. O Volkswagen era montado no bairro do Ipiranga, na zona sul de São Paulo. As peças eram importadas da Alemanha. Esse sistema de produção foi mantido de 1953 a 1957.

Graças ao sucesso, a Volkswagen decidiu erguer uma fábrica para produzir o Fusca no Brasil. Em 3 de janeiro de 1959 teve início a produção do Fusca com peças feitas no País. A planta, às margens da Rodovia Anchieta, em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, continua em operação.

No primeiro ano do modelo nacional, foram vendidas 8.406 unidades. Durante 23 anos seguidos (desde o lançamento até 1982), o Fusca foi o carro mais vendido do Brasil.

Em 1986, o Fusca saia de linha pela primeira vez no Brasil. Com isso, a única planta que continuo produzindo o modelo foi a de Puebla.

Em 1993, a Volkswagen voltou a fabricar o Fusca no País, a pedido do então Presidente da República, Itamar Franco. O carro teve sobrevida até 1996, quando se aposentou de forma definitiva no Brasil. Para marcar o fim da produção, a Volkswagen lançou a edição especial Série Ouro.

O nome do Volkswagen Käfer pelo mundo:

África do Sul: Duiwel
Alemanha: Käfer (besouro)
Austrália, Canadá, EUA, Índia, Inglaterra: Beetle (besouro)
Áustria: Kugel Porsche (esfera de Porsche)
Bélgica: Keverke (besouro)
Bulgária: Kostenurka (tartaruga)
Chile e Espanha: Escarabajo (escaravelho)
Croácia: Buba (inseto)
Cuba: Huevito (ovinho)
Dinamarca: Bobble (bolha)
França: Coccinelle (joaninha)
Estados Unidos: Bug (inseto)
Eslováquia: Chrobak (inseto)
Eslovênia: Hrošč (besouro)
Estônia: Põrnikas (besouro)
Finlândia: Kupla (redondo)
Grécia: Skaraveos (escaravelho)
Guatemala: Cuca (barata)
Holanda: Kever (besouro)
Honduras: Cucarachita (baratinha)
Hungria: Bogár (inseto)
Islândia: Bjalla (sino)
Indonésia: Kodok (sapo)
Iugoslávia e Macedônia: Buba (inseto)
Itália: Maggiolino (joaninha)
Israel: Hiposhit ou Bimba (besouro)
Irã: Ghoorbaghei (sapo)
Japão: Kabuto-mushi (escaravelho)
Letônia: Vabole (besouro)
Malásia: Kura (besouro) ou Kodok (sapo)
México: Vocho ou Pulguita (pulguinha)
Noruega: Bobla (bolha)
Polônia: Garbus (corcunda)
Porto Rico: Bolillo/Volky (bobina)
Portugal: Carocha (escaravelho)
República Tcheca: Brouk (besouro)
República Dominicana: Cepillo (escova)
Romênia: Broasca (sapo)
Suécia: Bubblan (bolha)
Suíça: Escarabée (escavelho)
Turquia: Vosvos (besouro)

Ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais

Notícias relacionadas


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais