Kawasaki Z400 mostra que moto pequena na pista também é divertida

A R$ 22.990, Kawasaki Z400 é a versão naked da Ninja 400 e divertida na pista com praticidade do uso diário

kawasaki z400
Z400 NA PISTA Crédito: RENATO DURÃES/KAWASAKI

A Kawasaki escolheu o Autódromo de Interlagos para o lançamento da nova Z400, que substituiu a Z300. O modelo chega às lojas por R$ 22.990 nas cores verde “Kawasaki” (Candy Lime Green) e vinho (Candy Cardinal Red). Aceleramos a nova Kawasaki Ninja 400.

Por mais estranho que possa parecer escolher uma pista para o lançamento de uma moto média, a 400 mostrou que a pista também é seu habitat natural. Tanto é que dentro do Campeonato Mundial de Superbike (WSBK) há categorias de 300 cm³ e 400 cm³.

Mas o importante é que, a nova geração da naked da Kawasaki está melhor e mais divertida. A principal alteração está no motor, que cresceu de 299 cm³ para 399 cm³. Com isso, a potência e o torque aumentaram em 23% e 40%, respectivamente.

Isso signfica 48 cv a 10 mil rpm e 3,9 mkgf a 8 mil rpm contra os 39 cv a 11 mil rpm e 2,8 mkgf a 10 mil da Z300. Esse novo conjunto de 48 cv é o mesmo que equipa sua contraparte carenada, a Ninja 400 que custa R$ 23.990. O câmbio é de seis marchas com engates fáceis.

Entre as mudanças técnicas da sucessora da Z300, estão 3 kg a menos que antecessora. Isso foi conquistado graças a mudanças no chassi e no motor. O coletor de admissão ficou mais curto, e permitiu liberar espaço sob o banco.

Para o motor render mais, não foi apenas crescer em capacidade cúbica, mas também adotar uma caixa de ar maior. Foi de 4,7 litros na Z300 para 5,8 l agora. Isso garante que o dois-cilindros “respire” mais e melhor, para garantir uma melhor queima da mistura ar-combustível.

Além disso, na redução de peso, a Kawasaki contou com a eliminação de válvulas de aceleração secundárias e com árvore de comando forjada. O sistema de escape tem uma curva mais simples, na prática isso garante que os gases sejam eliminados mais rápidos, da exaustão, deixando o motor girar mais liso. O conjunto também é mais fino. Por fim, o sistema de embreagem mais leve.

No visual, a linha é equivalente ao que se encontra nas irmãs maiores Z900 e Z1000. Muitos chanfros e agressividade em cada detalhe, o que conquista quem vê a moto, especialmente na cor verde. De série, ela traz faróis e luzes traseiras de LEDs. O painel é diferente da Ninja 400, mais compacto e ficou mais difícil de visualizar, já que tudo está mais compactado em um conjunto menor.

NA PISTA

Na pista de Interlagos, com subidas, descidas, retas boas para acelerar e também trechos travados, é facil entender como a Z400 se comporta e como a potência extra deixou a naked mais divertida, especialmente nas curvas.

O motor “enche” mais fácil e entrega potência e, principalmente o torque mais cedo, o que nos trechos de curva do miolo da pista, se mostrou ótimo. O motor maior que o anterior cresce mais fácil e linear, exigindo menos trocas de marcha para se conseguir um desempenho mais aceitável. Nas retas, ele ficou menos “girador”, afinal perdeu 1 mil rpm, mas isso não tira os méritos da boa aceleração e de poder esticar bem as rotações para aproveitar os 48 cv.

A posição de guiar é muito confortável. O modelo tem a típica posição de naked, com guidão elevado, pernas levemente recuadas e tronco pouco avançado sobre o tanque. Essa posição é a ideal para o uso diário, mas também atende bem quem deseja usá-na na pista, podendo atacar curvas e pendular sobre o banco com facilidade.

O novo chassi, além de manter a posição de conforto, reduziu o entre-eixos de 1.405 mm para 1.370 mm o que garante mais agilidade da motocicleta nas trocas de direção e melhor respostas nas curvas. Isso sem tornar a pilotagem desconfortável para pessoas com mais de 1,80 metro.

As suspensões tentam encontrar o meio termo entre pista e conforto para o dia a dia, mas tendem mais ao segundo. A suspensão é do tipo convencional na dianteira e monoamortecida na traseira. São 120 mm na dianteira e 130 mm na traseira.

Os freios são ideais para o uso urbano/rodoviário do modelo com discos simples de 310 mm na dianteira e 220 mm na traseira. O conjunto vem equipado com ABS que não pode ser desligado.

FICHA TÉCNICA – KAWASAKI Z400

Preço: 22.990
Motor 399 cm³, dois cilindros, 8V, gasolina
Potência (cv): 48 a 10 mil rpm
Torque (mkgf): 3,9 mkgf a 8 mil rpm
Câmbio: 6 marchas
Peso: 168 kg

PRÓS: MOTOR

Ante a Z300, a Z400 está melhor em baixas e médias rotações, sem abdicar da esportividade.

CONTRAS: PAINEL

Mais compacto que da “irmã” Ninja 400, o painel tem visibilidade difícil


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais


Notícias relacionadas