Você está lendo...
Limpador de para-brisa é fácil de manter
Manutenção

Limpador de para-brisa é fácil de manter

Rafaela Borges Em época de tempestades vespertinas, um dos itens mais importantes para manter a segurança do motorista e ocupantes... leia mais

07 de mar, 2013 · 4 minutos de leitura.

 Limpador de para-brisa é fácil de manter


Rafaela Borges


Em época de tempestades vespertinas, um dos itens mais importantes para manter a segurança do motorista e ocupantes do veículo é o limpador de para-brisas. Composto por itens como motor, braço e palheta, o sistema dificilmente apresenta problemas. “É muito robusto”, afirma o diretor técnico da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA), Marcus Vinícius Aguiar.

A palheta é o único componente que apresenta desgaste intenso. “Em 90% dos casos, o problema é com a borracha”, conta Aguiar. “A peça deve ser trocada a cada três ou quatro meses”, diz o dono da Auto Mecânica Scopino (3055-2086), na zona norte, Pedro Scopino.

De acordo com Aguiar, a substituição vai depender das condições de uso. “Forte calor e sujeira levam a borracha a sofrer desgaste mais rapidamente”, explica. “Mas é muito difícil esse equipamento durar mais de um ano.”


Ele aconselha o motorista a ficar atento aos sinais de desgaste. “A palheta deixa de limpar o para-brisa adequadamente e a borracha, em atrito com o vidro, começa a fazer barulho constante.”

Há algumas dicas para aumentar a durabilidade da peça. “Limpe a borracha uma vez por semana com pano úmido e detergente neutro”, ensina Aguiar. “Se for deixar o veículo muito tempo parado, deve-se afastar a borracha do vidro.”

Scopino aconselha adicionar um produto detergente apropriado para limpar o para-brisas à água no reservatório do lavador. “Isso aumenta a durabilidade da palheta em pelo menos 20%”, garante.


Para Aguiar, esse tipo de detergente (chamado de limpa para-brisas) tem de ser o recomendado pela fabricante no manual do veículo. “Ele lubrifica a palheta e limpa o vidro.”

Braço e motor do limpador não costumam sofrer desgaste acentuado. “O braço pode até quebrar, mas só em caso de vandalismo ou acidente”, diz Scopino. Em sua oficina, as palhetas partem de R$ 25.

Na VW Caraigá (3525-8000) do Morumbi, zona sul, o jogo para um Gol custa R$ 71,50 e o braço tem preço de R$ 88,30. Da Ford, o par de palhetas para o Focus sai a R$ 97,18 e o braço, a R$ 342,50. Os preços foram cotados na Mix (3363-3600), autorizada da região central.


(Confira a fan page do Jornal do Carro no Facebook: https://www.facebook.com/JornaldoCarro)