Mercado

Adeus, Fox: funcionários da Volkswagen se despedem do hatch compacto

Registros nas redes sociais mostram suposta última unidade do Volkswagen Fox feita na fábrica de São José dos Pinhais (PR), após 18 anos

Redação

04 de out, 2021 · 5 minutos de leitura.

Volkswagen Fox" >
Em produção há 18 anos no Brasil, o Volkswagen Fox foi aposentado em outubro com um total estimado de quase 2 milhões de unidades feitas no País
Crédito:Volkswagen/Divulgação

Na última semana, a Volkswagen deixou de produzir o Fox no Brasil após 18 anos. Segundo registros feitos nas redes sociais, o hatch popular teve sua última unidade fabricada no dia 29 de setembro. Foi quando o exemplar da versão Extreme, com pintura vermelha, passou pela última vez na linha da fábrica de São José dos Pinhais, no Paraná.

A cena não passou em branco. Embora a marca alemã não tenha feito um anúncio oficial do fim do Fox, alguns funcionários aparentemente quebraram o protocolo e publicaram imagens da última unidade. Na foto abaixo, uma pequena aglomeração de funcionários, mas todos de máscaras. Afinal, foram quase duas décadas montando o modelo.

Certamente a Volkswagen ainda fará um registro de despedida do Fox. Em 2018, o compacto bateu a marca de 2 milhões de unidades produzidas. Do Brasil, foi exportado para vários países, até mesmo para a Europa. No México, chamava-se Lupo. Além do hatch, o Fox teve por anos a perua SpaceFox, bem como o aventureiro CrossFox.

Fox
Volkswagen/Divulgação

Era para substituir o Gol

Lançado em 2003, o Fox foi projetado no Brasil para ser o substituto do Gol. O time brasileiro criou o hatch sobre a plataforma PQ24, do Polo de 4ª geração. A ideia original era batizar o modelo de Tupi. Contudo, reza a lenda que a Volkswagen desistiu do nome por causa da sua pronúncia em inglês, que soaria como "to pee", que significa "urinar".

A marca, então, escolheu Fox, que significa "raposa" em inglês. Um nome que combinava com a proposta do carro, de ser compacto e ágil, tal como são as raposas. Seja como for, o Fox caiu nas graças dos brasileiros e vendeu bem. Um dos méritos se deve ao fato de que, bem antes dos SUVs, o hatch inovou com estrutura mais vertical.

Um das marcas registradas do Volkswagen Fox, e que foi decisiva para o seu sucesso, foi justamente o teto alto. Diferente do Gol e do Polo, o hatch compacto tinha silhueta de monovolume, com o capô em inclinação que quase acompanhava o ângulo do para-brisas. Assim, oferecia uma cabine mais generosa em espaço, o que atraiu muitos clientes.



Sem fôlego contra os novos rivais

Embora seja um triste fim para um carro nacional com tanta história, o tempo pesou para o Fox. Com aproximadamente 16 mil emplacamentos em 2021, o compacto da Volkswagen não têm mais fôlego para disputar com Chevrolet Onix, Hyundai HB20 e Fiat Argo, três dos hatches mais vendidos do País neste ano - e que são concorrentes diretos.

E não é só na Volkswagen. A Fiat, por exemplo, prepara a aposentadoria do sedã Grand Siena, da multivan Doblò e do Uno. No caso do hatch de entrada, o fim da produção será ainda mais emblemático: ele é feito no Brasil desde 1984, ou seja, há 37 anos. Quase tão velho quanto a VW Kombi, o Uno já vendeu mais de 4 milhões de unidades. É um ícone.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se